quinta-feira, 28 de junho de 2012

Apenas setes cidades podem exibir o horário eleitoral gratuito na TV no Maranhão


Do blog do Louremar Fernandes
Apenas sete cidades do Maranhão vão poder exibir a propaganda eleitoral gratuita na televisão. São elas: São Luis, São José de Ribamar, Balsas, Codó, Imperatriz, Santa Inês e Timon.
São os únicos municípios onde há emissoras de TV com outorga concedida para a geração de programas.
Nas demais cidades do Estado, as emissoras de televisão são meras repetidoras. Ao rigor da lei das telecomunicações não poderiam gerar programas ao vivo, embora o façam.
O juiz eleitoral de cada cidade tem o poder discricionário de autorizar ou não a propaganda na TV, nos locais onde não exista emissora outorgada. É o que tem acontecido em algumas cidades do interior do Estado em pleitos passados.
A propaganda eleitoral gratuita no rádio e TV começa no dia 21 de agosto.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Um dia inesquecível para o povoado de Bom Viver



Um dia inesquecível para o povoado de Bom Viver, 26 de junho, ficará na memória dessa comunidade, pois foi inaugurada a Praça de Eventos do povoado.
 
A obra foi entregue pelo prefeito José Arlindo, onde dezenas de homens trabalharam duro para entregar o grande sonho dessa gente. Essa praça de eventos é um anseio antigo dos moradores daquela localidade e do ex-vereador Herasmo Leite que fez várias solicitações ao Executivo Municipal, nos últimos anos e agora, com o apoio do vereador Edinildo e Leonardo Sá,  do líder comunitário Rubinho, o prefeito José Arlindo  com recursos da Prefeitura Municipal,  finalmente esta obra está sendo entregue ao povo do Bom Viver.

O Vereador Leonardo Sá afirmou que a população do povoado  está muito feliz com a realização desta obra. “O ganho para a nossa região é muito grande, pois teremos um local para à realização de grandes eventos. Uma construção deste porte engrandece o povoado e o torna apto a receber grandes atrações artísticas”, enfatizou o edil. 
O prefeito Arlindo também se disse satisfeito com a obra, afirmou que este feito valoriza o interior e aproveitou para anunciar a inauguração do Posto de Saúde para o próximo mês “Sabemos da  importância de realizações como essas, que valorizam o interior de  Pinheiro, e pensando nisso, tive o cuidado de dar atenção especial a essas comunidades, declarou o Prefeito.
O pré candidato Luciano Genésio aproveitou para dar os parabéns a comunidade de Bom Viver, pela conquista de mais um realização do prefeito José Arlindo, junto a comunidade.




Justiça condena prefeito de Turilândia e secretário de Educação à perda do cargo


A Justiça do Trabalho determinou, no dia 22 de maio, a perda do cargo do prefeito e do secretário municipal de Educação de Turilândia (a 384km de São Luís), respectivamente, Domingo Sávio Fonseca Silva e Rogério Martins Marques. A decisão é resultado de Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa ajuizada pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA) e posteriormente ratificada pela Procuradoria Regional do Trabalho. Turilândia é termo judiciário da Comarca de Santa Helena.
Na decisão, o juiz da Vara do Trabalho de Pinheiro, Érico Renato Serra Cordeiro, determina, ainda, a suspensão dos direitos políticos dos dois gestores por três anos, a proibição de contratar e receber benefícios ou incentivos fiscais do Poder Público e o pagamento de multa em valor correspondente a 30 vezes a remuneração dos dois gestores à época.
“Tanto o prefeito quanto o secretário valeram-se dos seus cargos para esvaziar e desmobilizar um sindicato, manipulando-o para que se tornasse dócil, conivente, omisso, em franca incompatibilidade com os interesses da categoria que a entidade representa”, afirma o juiz na decisão.
A AÇÃO
Segundo o promotor de Justiça Emmanuel Netto Guterres Soares, que representou o MPMA na ação, o prefeito Domingos Sávio Fonseca Silva, conhecido como Domingos Curió, nomeou, em 2009, o então presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos Municipais de Turilândia (SINSEREP-TU), Rogério Martins Marques para o cargo de Secretário Municipal de Educação. O MPMA comprovou que os dois gestores prejudicaram a liberdade sindical e os professores.
Mesmo ocupando cargo de confiança no primeiro escalão municipal, Rogério Martins Marques não se afastou formalmente da diretoria do sindicato. Na Ação Civil Pública, o MPMA argumentou que o prefeito cooptou o então presidente do sindicato e o colocou na Secretaria de Educação com a intenção de interferir irregularmente na entidade sindical, mantendo o controle político e administrativo. “Na mesma época, havia negociações sobre o plano de carreira dos professores”, explica o promotor de Justiça.
Após o afastamento formal de Marques da direção do sindicato, ele ainda continuou controlando atividades na instituição e possuía, inclusive, a senha para o acesso ao computador da entidade.
Além disso, a sede do sindicato funcionava em um compartimento na casa do secretário de educação, que tinha total acesso às dependências, além de receber os aluguéis pagos a si próprio. As contribuições arrecadadas dos filiados também eram depositadas na conta pessoal dele. “A prática de vários atos ilegais foi uma forma de dominar o sindicato e adequá-lo aos interesses da Prefeitura Municipal”, avalia Guterres.
Em sua defesa, o prefeito alegou que o Ministério Público do Maranhão não teria legitimidade para propor a ação, o que foi negado pela Justiça, que afirmou que a competência do MPMA é concorrente à do Ministério Público do Trabalho. Outra alegação, de que o processo não poderia ser julgado pela Justiça do Trabalho, também foi refutada com base no artigo 114, parágrafo III, da Constituição Federal que afirma serem de competência da Justiça do Trabalho “as ações sobre representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e trabalhadores, e entre sindicatos e empregadores”.

(CCOM-MPMA)

terça-feira, 26 de junho de 2012

Eleições 2012



O prazo final para homologação de candidaturas se aproxima e o fechamento das chapas ainda não é consenso nos grupos políticos da cidade de Pinheiro.
Nas últimas semanas Fíluca Mendes se concentra em obter o maior número possível de baixas na candidatura do atual prefeito José Arlindo que vem fortalecida pelo número de soldados, prega nos quatro cantos da cidade que trará cinco partidos dos arlindistas até o dia 30/06. Sabe-se já que o suplente de Deputado Federal Tony Ferreira perdeu o comando do Partido Progressista (PP) para Filadelfo, este conseguiu com Valdir Maranhão, mais uma vez, o retorno da sigla no município, com isso poderá prejudicar a eleição da sua filha Laiana Ferreira (PP) ou optar por tela como vice, isso se eles aceitarem. 

 O PT de Pinheiro ainda briga na justiça para apoiar a reeleição de José Arlindo, no entanto, mesmo com a maioria do DM (23 dos 25 membros) terão problemas com o retorno da sigla depois da decisão da Câmara de Recursos Nacional do Partido Trabalhista em ratificar a opção do Diretório Estadual pelo PMDB, dizem que o velhinho do bigode operou lá em cima, mas os petistas pinheirenses prometem fazer campana na sede do diretório municipal, leva o partido mais a guerrilha jamais.

Neste jogo de companheiros ainda há rei que pode se transformar em pião, isso porque pelo acordo petista/pemdebista o PT indicaria o vice, que seria o bancário César Soares, no entanto, nem o grupo e muito menos Fíluca quer-lo compondo a chapa. Já deveriam saber que o ex-alcaide não é cumpridor de promessas, parece que a pressão será no níver luquista dia 26/06, há uma abelhinha lá..

Buscam também o PTB, PPL e PSDC que não têm muita influência neste jogo, cadê os soldados? Querem somente o tempo de televisão que não é lá muita coisa.

A briga final fica pelo o PRB do Deputado federal Cléber Verde e esta disputa deverá ser mesmo decidida nas prorrogações. Fíluca quer tomar de Arlindo na marra, mesmo sabendo que tem aliados arlindistas que querem ver o diabo a participar do grupo Mendes nesta eleição, entre eles estão Edinildo, Adimar Mineiro e correndo por fora um dos mais perseguidos no seu governo o ex-vereador Geraldo Júnior (responsável pelo partido em Pinheiro).. Resta saber se Fíluca terá peito para enfrentar a fúria de Ednildo e se Geraldo esquecerá as mágoas que tem com a família Mendes, será?

A avaliação que fazemos é Cléber entre a cruz e a espada, se trocar Geraldo (PRB) por Fíluca não terá os votos daqui nas eleições futuras, este tem seu deputado Sarney Filho (PV), mas Verde possui uma importante pasta no Governo Roseana Sarney (PMDB), o que fazer?

 Mesmo assim Arlindo navega nos altos mares de uma excelente pré-campanha  já consolidada, nunca antes vista pela oposição de Pinheiro. Tem um grupo bem maior que seu positor e números preciosos para disputar uma eleição com grandes possibilidades de vitoria, basta querer.. Este Jornal foi o único a postar uma série de pesquisas que se comprovam agora pelos próprios opositores do governo, uma disputa decidida nas margens de erros dos dois candidatos polarizados.

Hubert Castro ao consolidar sua candidatura pode já começar a dar trabalho para Filadelfo, negocia partidos importantes para sua base eleitoral que podem estar com os Mendes.

E os vices?

De Arlindo já está batido o martelo, Luciano Genésio. De Fíluca há um feixe e uma cambada de concorrentes, só vereadores têm três, além de César (pouco provável), um médico e empresários convidados (não aceitaram).

Ainda não se tem informações dos vices de Valdeni Barros (PSOL) e Hubert Castro (PTN), mas o último pode ter um vice de peso de uma importante igreja.

Sarneylândia



DEBATE ABERTO
Hoje, depois de 46 anos de domínio sarneysístico, o IDH do Maranhão é o segundo pior do Brasil. E o de São Luís, que alguns moradores bem-humorados chamam de Sarneylândia, está em vigésimo-primeiro lugar entre as capitais. Os nomes dos culpados estão espalhados pela cidade.
José Roberto Torero 
Estes dias estava em São Luís e decidi correr um pouco pelas ruas da cidade. Seria mais uma batalha na luta contra meu próprio abdômen, que teima em não parar de crescer.
Mal dei meus primeiros passos e vi que pisava na avenida Presidente José Sarney. Para me livrar dos maus fluidos, entrei numa grande ponte que há por lá. Só então percebi que ela se chamava Governador José Sarney.
Uma mesma pessoa dando nome a dois logradouros? Seria um engano de placas? Quando voltei ao hotel, consultei o mapa da cidade e vi que, além do presidente e do governador, também o Senador José Sarney fora agraciado com o nome de uma avenida.
Decidi dar uma olhada na lista telefônica para verificar se havia outras homenagens. E havia. No total, a cidade tem uma ponte, três avenidas, duas ruas e uma travessa batizadas com o nome, digamos, artístico de José Ribamar Ferreira de Araújo Costa.
Trata-se de uma falta de classe inclassificável. Dar nome de vivos para ruas já é grosseria. Mas fazer isso várias vezes é de um mau gosto feroz, de uma breguice inacreditável. Um membro da Academia Brasileira de Letras deveria ter mais senso estético. Ou de ridículo.
Porém, virando as páginas da lista telefônica, percebi que José não era o único Sarney saudado pelos nobres edis. Havia também três ruas e uma travessa Marly Sarney, quatro ruas Sarney Filho, uma rua para o modesto Fernando Sarney e uma rua e uma travessa para Roseana.
Decidi dar uma busca na internet para ver se havia mais coisas com nomes Sarney pela cidade. E vi que o pobre ludovicense não tem como escapar. Ele nasce na maternidade Marly Sarney e depois vai estudar na escola Sarney Neto, ou na Roseana Sarney, talvez na Fernando Sarney, possivelmente na Marly Sarney ou, é claro, na José Sarney.
Para morar, pode escolher entre as vilas Sarney, Sarney Filho, Kyola Sarney (progenitora do ex-presidente) ou Roseana Sarney. Se passar mal, pode correr ao posto de saúde Marly Sarney. E, se sentir fome de saber, sempre há a Biblioteca José Sarney.
A oligarquia deixou seu nome por toda a cidade, assim como um fazendeiro marca seu gado com ferro em brasa.
Se o cidadão ficar indignado, há duas saídas: uma é a rodoviária Kyola Sarney. A outra é reclamar no fórum José Sarney, onde há a sala de imprensa Marly Sarney e a sala de defensoria pública Kyola Sarney.
Até pouco tempo atrás, o próprio tribunal de contas chamava-se Roseana Murad Sarney, numa clara demonstração de que não seria lá muito isento. Mas houve protesto e o nome foi retirado.
Aliás, o clã vem sofrendo derrotas. O próprio Sarney não se elegeu senador pelo Maranhão, mas pelo Amapá.
Hoje, depois de 46 anos de domínio sarneysístico, o IDH (índice de desenvolvimento humano) do Maranhão é o segundo pior do Brasil. E o de São Luís, que alguns moradores bem-humorados chamam de Sarneylândia, está em vigésimo-primeiro lugar entre as capitais.
Os nomes dos culpados estão espalhados pela cidade.
José Roberto Torero é formado em Letras e Jornalismo pela USP, publicou 24 livros, entre eles O Chalaça (Prêmio Jabuti e Livro do ano em 1995), Pequenos Amores (Prêmio Jabuti 2004) e, mais recentemente, O Evangelho de Barrabás. É colunista de futebol na Folha de S.Paulo desde 1998. Escreveu também para o Jornal da Tarde e para a revista Placar. Dirigiu alguns curtas-metragens e o longa Como fazer um filme de amor. É roteirista de cinema e tevê, onde por oito anos escreveu o Retrato Falado.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Debocha do povo sarneysada…


Durante todo o dia, mais de 150 bairros de São Luís vão ficar sem água. Esse é o presente do grupo Sarney aos 400 anos da cidade que o ex-presidente da Republica e atual presidente do Senado, José Sarney, diz amar…
O grupo Sarney, que domina há décadas o Maranhão, e não é só na política, tudo aqui leva o nome Sarney: maternidades, pontes, ruas, avenidas, etc. Uma pena que a nossa economia não esteja bem, aliás, como poderia estar, se tudo é deles?
Fazem e acontecem ao arrepio das leis e justiça (se é que ela exista nessa terra de muro baixo…), nada é feito com transparência, e quase tudo com dispensa de licitação.
Logo eles que, recentemente cassaram um governador alegando “abuso” de poder econômico em campanha eleitoral, nas eleições de 2010, fizeram pior, gastaram rios de dinheiro para a reeleição de Roseana, dizem que o volume chegou perto dos bilhões…
Deboche: não tem outra palavra para explicar tantas mazelas cometidas pelo grupo Sarney ao logo de mais de meio século. Não tem como explicar ao povo o problema da falta d água na capital dos 400 anos, podem debochar sarneysada.
ricardosantos

Será que os invendáveis se venderam?

Analfabeto politico, ou burro mesmo pela terceira vez ficou sem legenda o "invendavel" Tony Fereira, caiu na arapuca porque quis, essa armadilha foi montada para o prefeito José Arlindo, que sabiamente se esquivou. Mas, felizmente essa, eleição é nossa! 40 neles!

quinta-feira, 21 de junho de 2012


Como fazer um pedido de informação

De acordo com a Lei de Acesso à Informação, qualquer pessoa tem o direito de ter acesso a todos os tipos de documentos públicos de seu interesse, ou de interesse coletivo, ressalvados aqueles que forem classificados como reservados, secretos ou ultrassecretos, de acordo com as regras da lei.
O cidadão não precisa revelar os motivos pelos quais quer acessar a informação solicitada, nem informar o que pretende fazer com ela. O órgão público não pode, ainda, condicionar a entrega da informação ao fornecimento de dados que constranjam o cidadão.
Assim que o pedido for recebido, o órgão público deve respondê-lo imediatamente. Caso a informação não esteja disponível, ele tem até 20 dias corridos para responder. O prazo pode ser estendido por mais dez dias, mas o adiamento deve ser justificado.
Caso a informação seja negada, o ente público deve indicar as razões da negativa, total ou parcial, do acesso. O cidadão pode então, recorrer ao agente público superior àquele que não permitiu o acesso.
Ao fazer a solicitação, é importante colocar seu nome completo e uma forma de contato, que pode ser o e-mail ou telefone, para que possa receber a resposta.

"UPA" do Vinhais vira caso de polícia



programa bandeira 2, apresentado pelo  jornalista Silvam Alves, da TV Difusora, mostrou hoje um caso de causar revolta a qualquer ser humano.
Uma senhora, que precisou de atendimento médico com urgência, foi levada pela mbulância da SAMU para a UPA do Vinhais. Simplesmente não deixaram nem a mulher entrar por ordem do diretor do hospital.
Depois chegou uma viatura do Corpo de Bombeiros tentando fazer com que pessoa fosse atendida. Não conseguiu. Aos familiares da senhora, que permancia numa maca na porta da UPA, disseram que era de ordem do secretário de Saúde, Ricardo Murad.
Depois de 1h do lado de fora e agonizando, chegou uma viatura do 8º Batalhão da PM. Só assim conseguiram que a mulher fosse atendida. Não sem antes o diretor do hospital explicar que existe um protocolo entre prefeitura e o estado de que os pacientes levados pela ambulância da SAMU só podem ser atendidos nos Socorrões.
Custo acreditar que seja verdade. E a vida humana é menor que o cruel protocolo? E se a senhora morresse sem atendimento médico na porta do hospital? Os funcionários da UPA teriam coragem de soltar foguetes juninos pela preservação do maldito protocolo?
O secretário de Saúde, Ricardo Murad, tem que explicar melhor tal situação. É o que aguarda o blog e toda a população.

terça-feira, 19 de junho de 2012

No JP On-line



De parabéns a sociedade maranhense e em especial a classe dos jornalistas, que não se calou e que cobrou diariamente uma resposta da cúpula da Segurança do Estado sobre a morte cruel e covarde do jornalista Décio Sá. Enfim uma resposta foi dada, e a quadrilha acusada de assassinar o jornalista já está atrás das grades. Mas, apesar da ‘festa’ feita pela Força Tarefa depois de desvendar o crime, a mim cidadão comum, porém antenado, não passou de um golpe de sorte.
O assassino Jhonatan de Souza, preso no Turu, com 10 quilos de crack, uma prensa industrial, uma escopeta e uma pistola 0.40, foi indiciado por tráfico de drogas, porte ilegal de armas e falsidade ideológica, aqui mesmo no Maranhão. Ora, meus amigos, se o bandido esteve aqui mesmo esse tempo todo, por que não foi preso?
Felizmente os mandantes não pagaram pelo ‘trabalho’, o que fez o matador de aluguel a cantar feito curió e entregar os nomes de todos os criminosos envolvidos na morte do Décio e deixou um rastro de pólvora que pode levar a outros crimes com agiotagem e corrupção em várias prefeituras.
De parabéns o povo do Maranhão porque foi feito justiça no caso Décio, mas falta prender os supostos mandantes da morte do empresário Marggion Ferreira, que, segundo a polícia, seriam Elias Nunes Filho e o ex-vereador Edson Arouche Júnior, mais conhecido como Júnior Mojó. entre centenas de outros.
(Gustavo Urbano Lopes no JP  – Aqui

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Alegações finais apresentadas, no Processo de Cassação de Roseana



Os advogados do processo em que o governador José Reinaldo Tavares (PSB) pede a cassação da governadora Roseana Sarney (PMDB) e do vice Washington Oliveira (PT), por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2010, protocolaram nesta quarta-feira (13), no Tribunal Superior Eleitoral, as alegações finais do recurso.
O TSE, segundo previsão dos advogados de acusação, deverá julgar em agosto, concomitantemente com o processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal, o recurso em que o ex-governador do Maranhão José Reinaldo Tavares (PSB) pede cassação da governadora maranhense Roseana Sarney (PMDB) e a convocação de novas eleições no estado.
A advogada Ezikelly Barros, que integra a equipe de defesa da governadora, afirmou que suas alegações finais serão entregues nos próximos dias — o prazo estabelecido é de dez dias. A defesa de seu vice-governador, Washington Luiz Oliveira (PT), terá mais dez dias para ajuizar suas razões. Em seguida, o processo vai para o Ministério Público para a emissão de parecer. Com o parecer, estará pronto para ser julgado.
Por diversas vezes, os advogados Rodrigo Lago e Rubens Junior, que assinam o processo de cassação movido pelo ex-governador José Reinaldo contra a governadora Roseana Sarney por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2010, afirmaram que a maior prova contra Roseana foi produzida pela própria defesa da governadora. Indagados diversas vezes sobre que prova seria essa, os advogados sempre desconversavam.
Agora, com a apresentação das alegações finais nesta quarta-feira, que contém 79 páginas (última etapa do processo antes de ir a julgamento), soube-se que a prova à qual se referiam os advogados se trata do depoimento do ministro das Minas e Energia, senador Edson Lobão.
O depoimento de Lobão foi prestado ao ministro Arnaldo Versianni em 21 de setembro de 2011, no gabinete do Ministério das Minas e Energia, em Brasília (um privilégio processual de ministro de estado para marcar o local onde quer ser ouvido).
Segundo consta no depoimento, Lobão reconheceu expressamente que vários prefeitos que pertenciam a partidos de oposição, como PDT, PC do B, PSB e PSDB, que possuíam candidatos próprios ao governo do Estado e ao Senado, foram cooptados pela governadora para apoiar sua candidatura à reeleição.
O Ministro foi além e declinou nomes de municípios cujos prefeitos de partidos de oposição apoiaram explicitamente a campanha de Roseana Sarney, a despeito de seus partidos possuírem candidatos próprios ao governo do Estado.
Lobão declinou expressamente que os prefeitos dos municípios de Coelho Neto (Soliney Silva – PSDB), Dom Pedro (Arlene Costa – PDT) e São Domingos (Kléber Tratorzão – PDT), todos apoiaram a candidatura de Roseana Sarney a Washington Oliveira em 2010.
O PSDB, partido ao qual pertencia Soliney Silva em 2010, indicou o candidato a vice na chapa de Jackson Lago, o Pastor Porto; O PDT, partido ao qual pertenciam Kleber Tratorzão e Arlene Costa, tinha como candidato o ex-governador Jackson Lago.
Os advogados de acusação demonstraram no processo que estes municípios foram contemplados com mais de 20 milhões de reais em convênios celebrados às presas no mês de junho de 2010, cuja liberação dos recursos aconteceu em tempo recorde, em alguns casos no mesmo dia da convenção da candidata Roseana, em 24 de junho de 2010.
Em todos esses municípios, a governadora Roseana Sarney saiu-se vitoriosa com larga vantagem: em Coelho Neto (que recebeu cerca de R$ 11 milhões de reais em convênios) obteve 72% dos votos e Jackson Lago apenas 7,78%; em Dom Pedro (que recebeu R$ 6.200.000,00), obteve 49,8% dos votos válidos, enquanto Jackson Lago obteve 13,16% dos votos válidos; Em São Domingos (que recebeu R$ 4.527.000,00) obteve 49,8%, e Jackson Lago obteve 4,65% dos votos.
Blog: Jorge Vieira

quarta-feira, 13 de junho de 2012

O bandido que matou Décio Sá…


O matador e seu retrato, na fotomontagem de Thamirys D'Eça : descrição perefeita
Ele cortou os cabelos e tentou dar uma disfarçada, mas não teve jeito.
O retrato-falado deu as características perfeitas do assassino do jornalista Décio Sá, capturado em Belém do Pará, no feriado de Corpus Christi.
Os olhos expressivos e a mesma forma da boca denunciaram o criminoso.
Este assassino, que já matou mais de 50 pessoas Brasil a fora, agora está nas mãos da polícia maranhense.
E seja qual for o acordo de delação premiada que tiver feito, vai mofar na cadeia.

terça-feira, 12 de junho de 2012

"Promessas" dos Aliados Filuca e Roseana Sarney Murad, são desmascaradas


O ex-prefeito de Pinheiro Filuca Mendes anunciou para a cidade 40 vagas para o curso de Medicina, 40 para São Luís e 80 para Imperatriz. Estaria de parabéns a cidade, se isso fosse possível, já que a Princesa não conta com um único hospital que pudesse servir de hospital escola da Ufma.
Como já estamos em pré-campanha eleitoral, eles chegam com mais essa, e já anunciaram para os próximos dias a construção de um hospital com cem leitos, hospital esse que já deveria estar pronto desde 2010, quando esteve aqui o secretário de Saúde, Ricardo Murad, e anunciou a construção de um hospital com cinquenta leitos, isso logo depois de tomarem de volta 12 milhões das contas da prefeitura deixados pelo então governador Jackson Lago. Mas a população já está vacinada. Toda vez, de quatro em quatro ano, é a mesma coisa. Estamos cansados disso”, já dizia o porta-voz da governadora em nossa cidade, o locutor de televisão Paulinho Castro.
Promessas foram muitas: universidades, fábrica de ventilador, de bicicleta, esgoto... Mas nem mesmo professores para educar nossos filhos nos deram. Pinheiro, terra do ex-presidente José Sarney, assim como o Maranhão, constantemente aparecem em rede nacional como as piores do Brasil. Recentemente, no Programa 'Profissão Repórter', da Globo, foi mostrado o caos na saúde, com obras claramente eleitoreiras, ou cidades onde nem mesmo pacientes tinha. Teve hospital construído com heliporto exclusivamente para a governadora pousar.
Dos pouquíssimos deputados que realmente estão preocupados em defender os interesses da população, Bira do Pindaré foi um dos que protestou contra esse caos na saúde e a falta de concurso público para contratação de profissionais, ressaltando a falta de investimento por parte do governo na qualificação dos profissionais. “Criam ilusões desta forma, sabendo que o Maranhão tem o pior indicador de médico por habitante do país. O maior déficit de médicos do país é do Maranhão, e a gente procura a solução e não encontra. A Uema, que poderia ser instrumento de alavancagem de formação de profissionais médicos para o Maranhão, tem um curso ali em Caxias que funciona aos trancos e barrancos”, afirmou.
Aqui fica o repúdio da população pinheirense a esses governantes que colocaram a saúde do Maranhão na UTI, e ao seu braço direito, Filuca Mendes, que serviu de porta-voz da construção do 'novo hospital', logo ele que dizia: “... Construir hospital pra quê? - construir hospital é enxugar gelo, eu disse outro dia...”.
(Gustavo Urbano - Pinheiro Maranhão)


Colunaço do Peta: Aqui

Thaiza Hortegal se mobiliza para viabilizar a instalação de uma unidade do Iema em Pinheiro A deputada Thaiza Hortegal busca viabilizar uma unidade do Iema para o município de Pinheiro, com ensino médio em tempo integral e cursos profissionalizantes. “A cidade está sendo referência para estudantes na região por causa da diversidade de instituições de ensino superior que têm surgido, tanto públicas quanto privadas, além do crescimento econômico que vem apresentando, com a chegada de grandes empreendimentos, como foi o Mix Mateus e outros que estão por vir, e que demandarão pessoal qualificado”, explicou a parlamentar. A deputada progressista ressaltou o papel importante do Iema em outras regiões, agregando cursos profissionalizantes que viabilizam a inserção de jovens no mercado de trabalho após a conclusão do ensino médio, e a necessidade da abertura de novas vagas para alunos. “Vamos precisar de mão-de-obra qualificada diante do crescimento que temos percebido em Pinheiro. Além disso, precisamos abrir mais vagas para o ensino médio, porque temos identificado um crescimento de ingressantes neste nível escolar ao longo dos anos. Portanto, precisamos nos preparar, e com uma unidade plena do Iema, nossos estudantes terão, além de uma excelente estrutura, uma instituição de referência”, destacou Dra. Thaiza.

Thaiza Hortegal se mobiliza para viabilizar a instalação de uma unidade do Iema em Pinheiro A deputada Thaiza Hortegal busca viabilizar...