Governo MA

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Homem espanca a esposa e ainda tenta cortar sua língua

Domingos da Anunciação, foragido por espancar a mulher em Caxias
Por Nelson Melo
Uma mulher vivenciou momentos de tensão e medo na madrugada desta quinta-feira (25), na cidade maranhense de Caxias, Região dos Cocais, sendo identificada como Raimunda Nonata Silva Sousa. Ela, segundo apurado pela reportagem do Jornal Pequeno, teria sido espancada em sua casa pelo marido, Domingos da Anunciação dos Santos, que ainda tentou cortar a língua da vítima.
Segundo a vítima relatou na Delegacia de Polícia Civil de Caxias, o marido, de quem estava separada, mas não oficialmente, há alguns meses, compareceu à residência para assinar documentos referentes ao divórcio, sendo que ambos já haviam concordado com relação à partilha dos bens. Domingos, então, pediu que dormisse na casa, com a alegação de que não tinha para onde ir. Sendo assim, lá ele permaneceu, mas, por volta das 22h, o suspeito começou a agredi-la.
Ela teria sido amarrada e sido espancada, de forma covarde, segundo a mulher declarou na delegacia. Segundo disse, Domingos por pouco não cortou a língua dela com uma tesoura. A filha do casal, de apenas 5 anos, teria presenciado a cena. Até o momento, o suspeito não teria sido localizado.

Pânico para Sarney: PF faz operação contra propinas da ferrovia Norte-Sul

O ex-presidente José Sarney não acordou bem nesta quinta-feira (25). A Polícia Federal e o Ministério Público realizam a Operação De Volta aos Trilhos, que investiga crimes de lavagem de dinheiro decorrente do recebimento de propina nas obras da ferrovia Norte-Sul. Segundo as corporações, a ação cumpre 2 mandados de prisão preventiva, sendo um contra Jader Ferreira das Neves, filho do ex-presidente da Valec Juquinha das Neves, e outro contra o advogado Leandro de Melo Ribeiro.

Os bilhões que envolvem a Ferrovia Norte-Sul e as propinas do Clã Sarney

Em delações da Odebrecht, excecutivos citam que o grupo político do ex-presidente José Sarney recebeu entre 2008 e 2009 cerca de 1% sobre o contrato da obra, representado por Ulisses Assada, diretor de engenharia da Valec. Outros 3% seriam destinados ao grupo político do ex-deputado Valdemar da Costa Neto (PR), liderado por José Francisco das Neves, o ‘Juquinha’.
Os depoimentos que envolvem Sarney serão enviados à Justiça Federal de Goiás, onde já há apuração sobre a Valec, justamente onde ocorre a operação.
Conforme os procuradores, a ação baseia-se em acordos de colaboração premiada assinados com o MPF-GO pelos executivos das construtoras Camargo Corrêa e da Andrade Gutierrez, que confessaram o pagamento de propina a Juquinha das Neves. Além disso, a operação é embasada em investigações da Polícia Federal que levaram à identificação e à localização de parte do patrimônio ilícito mantido oculto em nome de terceiros (laranjas).

Governador Flávio Dino inova, e antecipa o pagamento mais uma vez de 29 pra o dia 26


O governador Flávio Dino surpreende e antecipa novamente o pagamentos dos servidores do estado, ele que ja havia anunciado a antecipação para o dia 29, antecipa ainda mais em segunda nota nas rede sociais avisa que o pagamento estará nas contas amanhã dia 26

Deputados protocolam pedido de criação de CPI da JBS na Câmara

Pedido foi referendado com 189 asssinaturas validadas, das 208 apresentadas

O Globo
JBS, no Paraná – Ueslei Marcelino / REUTERS
BRASÍLIA – Parlamentares da bancada ruralista se mobilizaram e apresentaram nesta quarta-feira requerimento para criação de uma CPI com “a finalidade de investigar as doações de campanhas feitas pelo Grupo JBS. O requerimento foi protocolado pelo deputado Cabo Sabino (PR-CE). Os parlamentares pedem a investigação das “doações de campanhas feitas pelo Grupo JBS, bem como os contratos junto ao BNDES, os crimes contra o sistema financeiro, evasão de divisas e a ingerência do referido grupo junto ao CADE. O pedido foi referendado com 189 asssinaturas validadas, das 208 apresentadas. Para pedir uma CPI, são necessárias pelo menos 171 assinaturas.
A Comissão será composta por 15 membros e terá 120 dias de prazo, prorrogáveis por igual período. Os parlamentares dizem que a JBS abasteceu as campanhas eleitorais de 1.829 candidatos de 28 partidos das mais variadas siglas, segundo as delações da cúpula da JBS.
Acuado, o presidente Michel Temer chamou a bancada do PMDB no Senado e discutiu nesta quarta-feira no Palácio do Planalto uma reação do Congresso à delação da JBS. A mais importante é a instalação da investigação parlamentar contra a empresa.
No encontro, houve duras críticas à atuação do Judiciário e à resistência do líder do partido no Senado, Renan Calheiros, em relação às reformas previdenciária e trabalhista. Temer voltou a se defender das acusações e reafirmou que “jamais” cogitou renunciar.
Um dos presentes no encontro resumiu o tom como “apoio ao governo e caça ao Renan”. Segundo um assessor, a linha de defesa do presidente, que consiste em atacar a “gravação clandestina”, foi interpretada por congressistas como um recado: com grande número de parlamentares investigados, eles também podem ser pegos de surpresa. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi criticado, e o Poder Judiciário foi chamado de “tirano”.
A reunião teve a presença de 18 dos 22 senadores peemedebistas. Este é o primeiro encontro com uma bancada de parlamentares no Palácio do Planalto desde a divulgação da conversa de Temer com Joesley Batista. Ficou acertado que haverá uma reunião no próprio Senado para avaliar se Renan será sacado da liderança. O líder do governo na Casa, Romero Jucá, foi um dos que ressaltaram esse desconforto: ele teria dito que Renan é seu amigo, mas que a posição de Calheiros chegou a um nível prejudicial. Horas depois, Renan e Jucá tiveram um embate áspero na tribuna do Senado.
Ao fim de mais de quatro horas de reunião, Temer brincou com a bancada do PMDB no Senado:
— Até dezembro de 2018 — riu, citando o período do fim do seu mandato, mostrando que pretende cumpri-lo integralmente.

Governo antecipa pagamento dos servidores estaduais para segunda-feira (29)

Foto: Reprodução
O Governo do Maranhão antecipará, para segunda-feira (29), o pagamento dos servidores públicos estaduais, o salário referente ao mês de maio. Novamente, a medida obedece à determinação do governador Flávio Dino. “Pagaremos a folha dos servidores do Governo do Maranhão, relativa a maio de 2017, no dia 29, segunda”, informou o governador.
Devido à viabilidade financeira do Estado, o vencimento será efetuado antes do previsto no calendário de pagamentos elaborado para o ano de 2017, que antevê sempre os dois primeiros dias úteis do mês subsequente ao trabalhado.
Os servidores podem acessar a versão digital do contracheque, por meio do site da Secretaria de Estado da Gestão e Previdência (Segep) ou através do aplicativo Portal do Servidor. Para isso, é necessário apenas senha de acesso, que pode ser cadastrada presencialmente, na sala do Portal do Servidor (situada no Edifício Clodomir Milet, s/nº, térreo), ou pelos telefones: 3131-4191 ou 3131-4192.
O servidor que ainda não possui senha, também poderá, a partir de agora, criá-la diretamente no site da Segep/Portal do Servidor. Ao clicar no botão ‘Primeiro acesso’, e, em seguida informar o seu CPF, o servidor interessado será direcionado para uma tela com uma sequência de dados pessoais, que deverão ser confirmados para efetivar a criação do seu acesso ao contracheque.

Após audiência promovida pelo MPF/MA, Ufma avalia possibilidade de transferir períodos do curso de Medicina de Pinheiro para São Luís

Na ocasião, foram discutidos problemas que prejudicam a formação acadêmica dos estudantes - 
Após audiência promovida pelo MPF/MA, Ufma avalia possibilidade de transferir períodos do curso de Medicina de Pinheiro para São Luís
MPF/MA promove audiência Pública sobre as condições estruturais do curso de Medicina da Ufma em Pinheiro (MA)
Em audiência pública realizada na tarde desta terça-feira (23), na sede do Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA), a instituição mediou debate entre a Universidade Federal do Maranhão (Ufma) e alunos da graduação de Medicina do campus Pinheiro sobre a falta de condições para o bom funcionamento do curso. Na ocasião, foram discutidos aspectos como a precária infraestrutura dos espaços destinados às atividades do curso, insuficiência de aulas práticas e de professores especialistas em determinadas áreas de medicina e alteração do plano pedagógico da graduação, problemas que, segundo os estudantes, prejudicariam a formação acadêmica.
A mesa, presidida pela Procuradora Regional dos Direitos do Cidadão, Talita de Oliveira, pelo procurador-chefe da Procuradoria da República no Maranhão, Juraci Guimarães Júnior, e pelo procurador da República Alexandre Silva Soares, foi composta pela reitora da Universidade Federal do Maranhão, Nair Portela Silva Coutinho, pela pró-reitora de Ensino da Ufma, Dourivan Câmara de Jesus, pelo presidente do Conselho Regional de Medicina no Maranhão (CRM-MA), Abdon José Murad Neto, por representante do Centro Acadêmico de Medicina Pericumã, Yago Galvão Viana, e pelo defensor público federal Yuri Michael Pereira Costa.
Audiencia_Publica_Curso_Medicina_UFMA_Pinheiro__Dr_Juraci_Guimaraes
De acordo com o procurador-chefe, o MPF/MA busca uma solução a partir do diálogo entre os envolvidos, pois a alternativa judicial não permitiria a solução imediata do problema dos alunos, que precisam de uma resposta efetiva em um curto espaço de tempo.
Para a procuradora Talita de Oliveira, “A audiência pública foi convocada com o intuito de subsidiar a atuação do Ministério Público Federal no âmbito do Inquérito Civil, mais especificamente identificar atuações possíveis, extraprocessuais ou processuais, destinadas a evitar ou reduzir, definitiva ou temporariamente, os transtornos e lesões a direitos experimentados pelos alunos do curso de Medicina do Campus de Pinheiro/MA da Universidade Federal do Maranhão – UFMA,” disse.
Encaminhamentos - Ao final da audiência, foram dados os seguintes encaminhamentos: a Ufma se comprometeu a, em até 15 dias, avaliar junto aos colegiados competentes da instituição a possibilidade de realizar, em situação emergencial e temporária, a transferência do 4º ao 7º período do curso de Medicina do campus Pinheiro para São Luís, destacando-se, de antemão, que a Universidade não teria condições de arcar com as despesas pessoais dos alunos. A proposta será discutida com o colegiado do curso e conselhos pertinentes, com a participação de representantes dos estudantes, dos pais dos estudantes e do corpo docente do Campus de Pinheiro. Por terem condições de permanecer funcionando em Pinheiro, os três primeiros períodos deverão iniciar na data prevista de 29 de maio de 2017, com a prévia adequação, por parte da UFMA, da Semana Padrão (calendário de aulas semanais).
A Ufma também vai verificar a disponibilidade de salas no campus São Luís no período noturno, que, conforme reportado por alunos, conta com salas vazias no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) e no prédio do curso de Odontologia. A instituição vai estudar, ainda, a possibilidade de as aulas práticas em São Luís serem ministradas por professores de Pinheiro.
A procuradora Talita de Oliveira, o defensor público federal Yuri Costa e o presidente do CRM-MA se comprometeram a visitar o campus da Ufma em Pinheiro para verificar a situação do curso.
Os alunos de Medicina em Pinheiro concordaram com o início das aulas para os períodos 1, 2 e 3 na data prevista se a Semana Padrão for reorganizada.
http://www.mpf.mp.br

Onda de violência toma conta de Pinheiro, pelo menos 3 mortes

A cidade de Pinheiro registrou apenas na noite de ontem alto índice da violência em que vive nossa cidade,  as mortes não param...
Segundo informações preliminares um policial apaisando passeava no trapiche que liga a Ponte Sarney ao APA quando teria sido abordado por um grupo de meliantes,  reagindo e acertando os dois fato esse que levou muitos curiosos para o local onde uma equipe do Corpo de Bombeiro foi acionada para localizar um dos bandidos que havia caído no Rio Pericumã. um corpo foi encontrado e um continua desaparecido um outro bandido teria conseguido fugir equipes da policia fazem busca agora em Agrovila.
Ainda acompanhando os desdobramentos desse caso nos chega outra informação que outra pessoa teria esfaqueada vindo a óbito no local na Quinta da boa vista. 


Muita violências nos últimos dias em nossa cidade assaltos, furtos e roubos de motos e mortes. 




quarta-feira, 24 de maio de 2017

MINISTRO PROTESTA CONTRA GRAMPO DE JORNALISTA: DESENHA-SE UM 'ESTADO POLICIAL'GILMAR CRITICA GRAVAÇÃO DE CONVERSA DE JORNALISTA COM FONTE

GILMAR CRITICA GRAVAÇÃO DE CONVERSA DE JORNALISTA COM FONTE

Conversas do jornalista Reinaldo Azevedo com sua fonte Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves, que a Polícia Federal não considerou relevantes à investigação, foram tornadas públicas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), provocando uma onda de críticas, protestos e acusações de abuso de poder da Operação Lava Jato. O ministro Gilmar Mendes, do STF, foi um dos que protestaram, com uma dura declaração: 
A lei que regulamenta as interceptações telefônicas (lei 9296/96) é clara ao vedar o uso de gravação que não esteja relacionada com o objeto da investigação. É uma irresponsabilidade não se cumprir a legislação em vigor. O episódio envolvendo o jornalista Reinaldo Azevedo enche-nos de vergonha, é um ataque à liberdade de imprensa e ao 
direito constitucional de sigilo da fonte. Está se desenhando no Brasil um estado policial, o que sempre foi combatido pelo Supremo Tribunal Federal.
O dialogo do jornalista com sua fonte foi interceptado pela PF a pedido da Procuradoria-Geral da República, e com autorização do STF, durante as investigações resultantes das delações da JBS. Andrea Neves atualmente se encontra presa, em decorrência da Operação Patmos.
O episódio provocou reações de protesto no Congresso, inclusive de partamentares do PT como Maria do Rosário (RS), cujo partido é frequentemente criticado por Reinaldo Azevedo. Nas redes sociais não foi diferente. O jornalista Kennedy Alencar, por exemplo, afirmou em seu blog que o episódio do grampo de uma conversa de Reinaldo Azevedo com Andrea Neves, "entra na lista de abusos da Lava Jato."
Em nota, a Associação Brasileira de Imprensa “considera que a Procuradoria-Geral da República violou o sigilo da fonte, assegurado pelo artigo 5 da Constituicao Federal”. A ABI acusou o procurador-geral Rodrigo Janot de praticar “intimidação e retaliações a jornalistas”.
A PGR reagiu afirmando que “não divulgou, não transcreveu, não utilizou como pedido, nem juntou o referido dialogo nos autos”. A Polícia Federal informou em nota que o referido diálogo não foi lançado em qualquer dos autos, uma vez que as conversas não diziam respeito ao objeto da investigação.
A presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, também em nota, disse que “o Supremo tem jurisprudência consolidada de respeitar integralmente o sigilo da fonte”.

RENATO DUQUE ENTREGA FOTO DE ENCONTRO COM LULA QUE DESMENTE PETISTA


O ex-diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque, incluiu em sua proposta de delação premiada, nesta terça-feira (23), a foto do seu primeiro encontro com o ex-presidente Lula, em meados de 2012. Essa foto desmente a afirmação de Lula, de que sequer conhecia Duque. A informação é da revista Veja.
A foto, segundo Duque, foi de um encontro com Lula, onde ambos discutiram assuntos das empreiteiras que faziam parte do ‘Clube de empreiteiras’ que agiam na Petrobras. Nesta época, Lula ainda se recuperava de um câncer de garganta. E a operação Petrolão estava nas ruas.
Duque revelou ao juiz Sérgio Moro, em seu depoimento no dia 5 de maio, que Lula, "o grande chefe" tinha total conhecimento do petrolão, sendo o comandante da estrutura criminosa e se beneficiando das propinas do esquema. De acordo com o ex-diretor, Lula tinha o controle do fluxo de pagamentos de contratos que renderiam propinas posteriormente.
O ex-diretor falou sobre três encontros com o petista, sendo que em um deles a pauta foi sobre eliminar as provas contra Lula que pudessem ser encontradas pela Operação Lava Jato. “Nessas três vezes, ficou muito claro para mim que ele tinha pleno conhecimento de tudo e detinha o comando”.
Em uma dessas conversas, já com a Operação Lava Jato, Lula teria orientado Duque a fechar as contas no exterior, por onde recebia as propinas da Petrobras. ‘Ele me perguntou se eu tinha uma conta na Suíça com recebimentos da empresa SBM, dizendo que a então presidente Dilma tinha recebido a informação que um ex-diretor da Petrobras tinha recebido dinheiro numa conta da Suíça da SBM. Eu falei: ‘Não, não tenho dinheiro da SBM nenhum. Nunca recebi dinheiro da SBM’. Aí, ele vira para mim e fala assim: ‘Olha, e das sondas? Tem alguma coisa?’. Falei… e tinha, né? Eu falei: ‘Não, também não tem’, relatou Renato Duque. Lula, nas palavras do ex-diretor, replicou: ‘Olha, presta atenção no que vou te dizer: se tiver alguma coisa, não pode ter. Não pode ter nada no teu nome, entendeu?’.
Entretanto Lula, em depoimento ao juiz Sérgio Moro negou tais afirmações. Mas admitiu que esteve reunido com Duque no aeroporto, por intermédio do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari, ‘O Vaccari conhecia o Duque e eu não conhecia. Que tipo de relação eles tinham, eu não sei. Tinha conhecimento de que o Vaccari conhecia o Duque, só isso’. 
O ex-presidente falou para Moro que procurou Duque depois ver as denúncias de corrupção na estatal, ‘Tive uma vez no Aeroporto de Congonhas, se não me falha a memória, porque tinha vários boatos no jornal de corrupção e de contas no exterior. Eu pedi para o Vaccari, que eu não tinha amizade com o Duque, trazer o Duque para conversar’, disse Lula. ‘Eu sei que foi num hangar em Congonhas e a pergunta que eu fiz para o Duque foi simples: ‘Tem matéria nos jornais, tem denúncias de que você tem dinheiro no exterior, que está pegando da Petrobras. Você tem contas no exterior? Ele falou: ‘Não tenho’. Falei: ‘Acabou’. Se não tem… Sabe, mentiu pra mim. Mentiu para ele mesmo’.
Renato Duque esteva na direção do setor de Serviços da Petrobras, durante os oito anos de governo Lula e na metade do primeiro governo de Dilma Rousseff, quando recolhia 1% de propina sobre cada contrato milionário para o PT.
O ex-diretor já foi condenado a 57 anos de prisão pelos crimes de organização criminosa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

MANIFESTANTES ENTRAM EM CONFLITO COM POLÍCIA MILITAR NA ESPLANADA

BADERNEIROS TENTAM ATEAR FOGO EM DOIS MINISTÉRIOS E NO MUSEU

O clima é tenso na Esplanada dos Ministérios, os manifestantes arremessam pedras e paus contra a Polícia Militar para tentar furar o bloqueio e chegar ao Congresso Nacional.
Manifestantes usam banheiros químicos como barricadas contra a PMDF. Em resposta a polícia utiliza bombas de gás lacrimogênio para tentar conter a baderna.Orelhões, cones e placas de sinalização foram quebrados e queimados perto do bloqueio. 
Uma pessoa ficou ferida por arma de fogo. Segundo a PMDF vários policiais ficaram feridos.

OS SERVIDORES DE TODOS OS MINISTÉRIOS FORAM RETIRADOS
Houve depredação no Ministério de Minas e Energia, da Cultura, Planejamento, Catedral Metropolitana e no Museu da República. O refletor do Ministério dos Transportes foi quebrado. O Ministério da Agricultura foi incendiado, a fachada foi pixada com a frase "Morte a burguesia'. Documentos foram espalhados e computadores quebrados no Ministério da Cultura. 
Os servidores de todos os ministérios foram retirados.
A Tropa da Força Nacional está posicionada na frente do Ministério da Fazenda.
Representantes das centrais sindicais, que estão no carro de som em frente ao Congresso Nacional, incentivam os manifestantes a ocuparam o gramado em frente a Avenida das Bandeiras.
De acordo com as informações da Secretária de Segurança a manifestação reúne cerca de 35 mil manifestantes na Esplanada dos Ministérios. Quatro pessoas foram detidas, por porte de entorpecentes e porte de arma branca, todos foram encaminhados ao Departamento de Polícia Especializada (DPE).
Segundo a PMDF mais de 500 ônibus trazendo pessoas de várias regiões do país, chegaram hoje cedo e se concentraram no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha.