ANTES NÃO TINHA

ANTES NÃO TINHA

sábado, 29 de julho de 2017

Governo fortalece ações de prevenção contra as hepatites virais

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), está fortalecendo as ações preventivas e tratamento das hepatites virais no Maranhão. As atividades foram intensificadas durante o julho amarelo e no Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, celebrado nesta sexta-feira (28). 

Nesta quinta-feira (27), técnicos do Departamento de Atenção às DST/HIV/Aids, Farmácia de Medicamentos Especiais (Feme), Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HU-UFMA), unidade de referência no tratamento das hepatites e demais parceiros da SES discutiram a implementação de ações de combate, prevenção e diagnóstico da doença. 

O secretário adjunto da Política de Atenção Primária e Vigilância em Saúde da SES, Marcelo Rosa, explica que o Governo do Estado oferece todo o suporte aos municípios para o fortalecimento das ações de controle da doença. 

“Disponibilizamos a estrutura do Laboratório Central do Maranhão para que sejam realizados os exames confirmatórios e estamos em constante contato com os municípios; e, com os movimentos que tem interface com a temática, como o Movimento de Combate a DST/AIDS e o Movimento LGBT, sempre realizando ações que possam fortalecer a prevenção à doença”, disse Marcelo Rosa. 

No Maranhão, há cinco cidades que apresentam maior número de casos de hepatites virais. A primeira é São Luís, como 2.478 casos, seguida de Imperatriz (489 casos), São José de Ribamar (292 casos), Caxias (286 casos) e Paço do Lumiar (249 casos). 

De acordo com a chefe do Departamento de Atenção às DST/Aids e Hepatites Virais, Jocélia Frazão, o registro de casos tem aumentado e reflete uma nova postura do maranhense que está buscando os serviços de saúde. “A gente percebe que os registros têm aumentado. Mas isso muito se deve ao fato de que as pessoas têm buscado mais os postos de saúde para fazem os testes rápidos. Essa postura não era comum e muitos casos de hepatite acabavam não sendo notificados”, explicou Jocélia Frazão. Ela informou que o Departamento acompanha a distribuição dos testes, que é feita diretamente pelo Ministério da Saúde às regionais de saúde. Cerca de 397.150 testes serão distribuídos no estado no segundo semestre deste ano. 

“Nós estamos cada vez mais descentralizando a aplicação dos testes rápidos, até porque é uma das metas repassadas pelo Ministério da Saúde para combater às hepatites virais e outras doenças. Para isso, os testes são aplicados nas Unidades Básicas de Saúde e o paciente sendo diagnosticado, passa a realizar o tratamento na unidade referência no estado, que é o Hospital Dutra e retira os medicamentos na Feme. Devemos receber de julho até dezembro desse ano, mais de 300 mil testes rápidos para serem aplicados no Estado”, explicou Jocélia Frazão. 

Além das UBS, o reforço à aplicação dos testes rápidos também é feita durante as realizações da Caravana Governo de Todos Nós, que percorre o Maranhão levando diversos serviços, entre eles, serviços na área de saúde. Na ocasião, é realizada orientação sobre a importância da prevenção à doenças, entre elas as hepatites virais e os participantes são incentivados a realizar os testes rápidos. 

“Nós sempre disponibilizamos testes de sífilis, HIV e hepatites. Também fazemos a prevenção, por meio da distribuição de preservativos masculinos e femininos, que é uma das formas de prevenção à doença”, completou Jocélia Frazão. 

Vacina contra Hepatite B 

A vacina faz parte do calendário de vacinação da criança e do adolescente e está disponível em todas as salas de vacina do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Sobre a hepatite 

A hepatite é a inflamação do fígado, uma doença que nem sempre apresenta sintomas. Muitas pessoas só percebem que estão doentes (principalmente dos tipos B e C) quando as manifestações já são graves, como cirrose ou câncer de fígado. 

Os pacientes levam anos para descobrir que estão infectados. Realizar o diagnóstico precoce das hepatites é um dos principais determinantes para evitar a transmissão ou a progressão dessas doenças e suas graves consequências. O teste rápido, atualmente, é considerado a ferramenta de maior amplitude para a triagem das hepatites B e C, pois se trata de um recurso de fácil acesso e simples execução. 

O objetivo é realizar o diagnóstico precoce e, assim, encaminhar o paciente para o tratamento adequado. Por se tratarem de doenças cuja evolução é, na maioria das vezes, assintomática, o não tratamento por longo prazo tende a levar a complicações clínicas graves.

Como prevenir as hepatites virais

Usar preservativo em todas as relações sexuais; 

Exigir materiais esterilizados ou descartáveis em estúdios de tatuagem e de piercings; 

Não compartilhar instrumentos de manicure e pedicure; 

Não usar lâminas de barbear ou de depilar de outras pessoas; 

Não compartilhar agulhas, seringas e equipamentos para drogas inaladas e pipadas, como o crack.

Nenhum comentário: