ANTES NÃO TINHA

ANTES NÃO TINHA

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Governo amplia segurança com substituição de tanques e usinas de oxigênio nas unidades de saúde

 Fonte SES Texto:Jessica Wernz



Investimentos do Governo do Maranhão em tanques criogênicos e usinas de oxigênio têm garantido a segurança necessária para o atendimento de pacientes em unidades de saúde do estado. O serviço é, muitas vezes, vital para os usuários do sistema público de saúde e interfere diretamente no funcionamento das unidades de saúde.

Com o investimentos em tanques e usinas de oxigênio, o serviço permite a realização de atividades de alta e média complexidade como cirurgias e o acolhimento e tratamento de paciente nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). O ar canalizado até os pontos de uso possibilita, ainda, a execução de serviços como o de nebulização e o funcionamento de equipamentos como autoclave, aparelho que utiliza vapor de água sob pressão para esterilizar instrumentos utilizados pelos profissionais de saúde em toda a unidade.

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, enfatizou a importância do investimento. “Lidamos diariamente com o que há de mais precioso, que é a vida das pessoas. Por isso, investimos na substituição de todas as usinas e tanques que eram utilizados nas unidades de saúde e apresentavam constantes problemas por não estarem de acordo com o padrão de segurança exigido pelas normas técnicas. Dessa forma, asseguramos o fornecimento contínuo de oxigênio”, disse o titular da pasta.

Em hospitais com 50 ou 100 leitos são utilizados tanques criogênicos, que têm uma concentração muito maior de gás e são monitorados 24h para garantir que estejam sempre abastecidos.  Já em unidades menores como as UPAs e hospitais de vinte leitos, são utilizadas as usinas, que através de um sistema de compressão, secagem, absorção, refrigeração e concentração do oxigênio, também canalizam o ar para dentro das unidades de saúde. 

Entre as unidades de saúde abastecidas com os tanques criogênicos estão os cinco hospitais regionais entregues pela gestão do governador Flávio Dino, em Santa Inês, Pinheiro, Bacabal, Imperatriz e Caxias. Já as usinas garantem oxigênio em unidades como as UPAs do estado, a Maternidade Nossa Senhora da Penha, o Hospital Geral de Morros, o Hospital de Matões do Norte, o Hospital Regional de Viana e a Unidade Mista do Maiobão.

A secretária adjunta de Assistência à Saúde da SES, Teófila Monteiro, destacou a necessidade do serviço nas unidades de saúde para os pacientes. “Desde os casos mais simples, o paciente pode apresentar uma necessidade de oxigenoterapia, especialmente em momentos como o pré-operatório e o pós-operatório. Por isso, toda unidade precisa ter esse suporte. Pode ser vital para o usuário”, ressaltou.

Investimento

Anualmente, o Governo do Estado investe R$ 40.850.769,84 na manutenção de usinas e tanques criogênicos em unidades de saúde do Maranhão. O valor incluiu a substituição dos tanques e usinas em 43 unidades, entre hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPA), com instalação, locação, manutenção técnica e fornecimento de oxigênio. A substituição foi realizada pela atual gestão por inconsistências no Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e da Rede Brasileira de Calibração (RBC). contrato com a empresa anterior e porque o sistema utilizado anteriormente estava fora dos padrões da Associação


Nenhum comentário: