ANTES NÃO TINHA

ANTES NÃO TINHA

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Matrículas para escolas de tempo integral começam na próxima segunda-feira

Escola Professor Aquiles Batista Vieira, em Alcântara, será uma escola em tempo integral. (Foto: Divulgação)
Escola Professor Aquiles Batista Vieira, em Alcântara, será uma escola em tempo integral. (Foto: Divulgação)
Na próxima segunda-feira (16) começam as matrículas para os 11 Centros de Educação de Tempo Integral, que vão funcionar em São Luís (seis unidades) e mais cinco municípios maranhenses: Alcântara (1), Santa Inês (1), São José de Ribamar (1), São Bento (1) e Timon (1).
Os Centros de Educação de Tempo Integral serão chamados de ‘Educa Mais’ e consistem em um novo modelo de escola pública, que visa o desenvolvimento dos estudantes em todas as suas dimensões – intelectual, social, cultural, física e emocional –, por meio de ações integradas e em tempo integral, envolvendo atores que influenciam diretamente na formação plena dos estudantes: família, educadores, gestores e comunidades locais.
Na educação integral, os sujeitos são considerados, no espaço escolar, em sua formação mais ampla como ser humano. É por isso que logo na primeira semana de aula, os alunos farão suas escolhas pela área que desejam aprofundar seus estudos nos três anos do Ensino Médio, seja na arte, estética, música, linguagens, ciências humanas, matemática, ciências da natureza, dentre outras.
“Foi dessa forma que a educação do estado vizinho de Pernambuco passou a ser a melhor do país, saindo da 26ª colocação em 2005, para se tornar o Estado com uma das menores taxas de abandono escolar do Brasil. Além do alto Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), a distorção idade-ano para o ensino médio também foi reduzida. Tudo isso porque o estado apostou em escolas técnicas e integrais. É inspirado neste modelo que estamos implantando o Educa Mais”, pontuou o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão.
Os 11 centros começam a funcionar a partir de março. Em São Luís, os Centros de Ensino Almirante Tamandaré (na Cohab); Professora Maria Mônica Vale (no Vinhais); Dorilene Silva Castro (no Coroadinho); Margarida Pires Leal (na Alemanha); Joana Batista (na Cidade Olímpica), e CAIC Barjonas Lobão (na Cidade Operária) serão centros de educação integral.
No município de Alcântara, o C.E. Professor Aquiles Batista Vieira também funcionará neste modelo. Em Santa Inês, será o C.E. Poeta Antônio José; em São José de Ribamar será o CAIC São José de Ribamar; no município de São Bento, o C.E. Kiola Costa; e em Timon, o C.E. Jacira de Oliveira e Silva.
Terá acesso à matrícula na 1ª série nos Centros de Educação Integral, o estudante que já concluiu ou estiver concluindo o 9º ano do ensino fundamental em escolas regulamentadas das redes federal, estadual, municipal ou privadas. A matrícula será prioritariamente para os estudantes que residem mais próximos dos Centros ou sejam oriundos de escola pública próxima.
Para os 2º e 3º anos, a matrícula será automática para os alunos da casa. As vagas excedentes serão preenchidas com alunos externos, obedecendo ao critério de proximidade da escola. “Aquele aluno que estiver estudando na escola, que agora vai funcionar como centro de educação integral, e não tiver o interesse de cursar o ensino médio integral, deve procurar outra escola da rede estadual mais próxima”, destacou a secretária adjunta de Ensino da Seduc, Nádia Dutra.
“Esse é um desafio que envolve quebra de paradigmas, superação de barreiras culturais, mudança radical de heranças burocráticas, tecnicistas e formalistas. Por isso, conclamamos as famílias, estudantes, professores, gestores, técnicos, apoios pedagógicos e trabalhadores da educação em geral para que possamos protagonizar de forma coletiva a construção das escolas de educação integral no Maranhão, em prol de um único ideal – oportunizar que nossos estudantes sejam agentes transformadores de sua realidade em favor do desenvolvimento social e da cidadania”, afirmou o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão.

Nenhum comentário: