ANTES NÃO TINHA

ANTES NÃO TINHA

sábado, 18 de junho de 2016

Governo acompanha ações da Infraero para normalização de atendimento em aeroporto de São Luís


Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Na manhã deste sábado (18), o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Governo e do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão, acompanhou in loco os trabalhos desenvolvidos pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), para normalização do atendimento no Aeroporto Marechal da Cunha Machado, em São Luís.
No terminal, um curto-circuito causou um princípio de incêndio na noite de sexta-feira (17,) o que prejudicou embarques e desembarque de passageiros. O fogo, imediatamente controlado pelas guarnições mantidas permanentemente pelo Corpo de Bombeiros, não causou maiores danos à estrutura e nem a funcionários e passageiros.
Ainda pela manhã, o governador Flávio Dino contatou o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, para buscar informações sobre as providências tomadas e prazos de restabelecimentos dos serviços.
“Gestão de aeroportos compete ao Governo Federal, não ao Governo do Estado. Mesmo assim, estamos oferecendo ajuda para resolver problema. Falei agora com ministro dos transportes, Maurício Quintella, que garantiu todo empenho do Governo Federal para resolver o problema do aeroporto”, afirmou o governador.
De acordo com o secretário de Governo, Antônio Nunes, que conversou com representantes locais da Infraero e das companhias aéreas, para além da cobrança e divisão de responsabilidades, o maior interesse era garantir a normalidade dos serviços prestados pelo aeroporto, a segurança de quem passasse ou estivesse no local e os direitos dos consumidores.
“Foi uma determinação direta do governador que estivéssemos aqui, acompanhando e sugerindo medidas que garantam o melhor atendimento possível a quem precisa desse serviço. Já acompanhamos tudo de perto, a Infraero está realmente com várias equipes empenhadas na rápida resolução do problema e também oferecemos nossa ajuda com apoio principalmente do Corpo de Bombeiros e de equipamentos como geradores, que deixamos à disposição caso precisem”, informou o secretário Nunes.
Segundo o Coronel Célio Roberto, comandante do Corpo de Bombeiros, são feitas vistorias regulares no local, o que inclusive evitou danos maiores no incidente registrado na noite anterior. “O Corpo de Bombeiros faz vistorias regulares no Aeroporto e todos os pontos que precisavam de ajuste já tinham sido notificados à empresa que estava no seu prazo de adequação, e, além disso, graças às duas guarnições permanentes que nós mantemos aqui, o fogo foi rapidamente controlado e não houve danos maiores”, informou o comandante.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Ainda de acordo com o Coronel, a partir das características, o incêndio foi previamente classificado como de categoria C, com a perícia serão indicadas as causas e apontadas medidas de prevenções de situações como esta.
“Observamos que há medidas técnicas de melhoria que precisam ser adotadas, como a instalação de geradores auxiliares, por exemplo, para que num caso desse o atendimento não precise ser interrompido. Mas, além disso, estamos lidando aqui com vários interesses, e o principal deles é a vida, mas temos também o transporte de passageiros, o potencial econômico e não podemos deixar que ocorram problemas como este”, declarou.
Defesa do Consumidor
Para garantir o correto atendimento e proteção ao consumidor, o Procon/MA informou que a Infraero será notificada para prestar esclarecimentos quanto à falha na prestação do serviço, e todas as companhias aéreas, para garantir os direitos dos consumidores. Além disso, o órgão emitiu informações sobre direitos nos casos de cancelamentos e atrasos de voos que podem ser conferidos no site: www.procon.ma.gov.br.
De acordo com o presidente do Procon/MA, Duarte Júnior, a atuação do órgão é firme para impedir que o direito do consumidor seja desrespeitado. “Qualquer descaso será punido com base nas leis que garantem o direito do consumidor”, afirmou. Os consumidores que sofreram danos materiais ou morais com o acontecido podem ingressar com ações judiciais para buscar as efetivas reparações.

Nenhum comentário: