quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Monstro, Estuprador e assassino da menina Maísa diz que estava bêbado quando cometeu o crime

José Ribamar, vulgo 'Guiguiné', confessou o crime durante a apresentação à imprensa na Secretaria de Segurança, na tarde desta quarta-feira(24). Ele contou detalhes à Polícia Civil do Maranhão e foi apresentado por meio da Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI)

O estuprador e assassino da menina Maísa Moreno, José Ribamar dos Santos Protázio, de 26 anos, conhecido como “Guiguinê”, foi apresentado na tarde de hoje, quarta-feira (25) na Secretaria de Segurança, na Vila Palmeira. A apresentação foi feita pela Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI).

Antes da apresentação, ainda na Delegacia de Chapadinha, o estuprador havia confessado o crime, na manhã desta quarta. Ele estava no grupo que se encontrava na delegacia de Urbano Santos prestando esclarecimentos quando eclodiu a revolta da população.

Em conversa com a imprensa, demonstrando muita frieza, o assassino apenas disse que estava bêbado no momento do ato e que já confessou tudo a polícia.

A polícia informou que José Ribamar estava bebendo com uns amigos, no momento em que sentiu dor no dente e disse que iria sair. Nesse momento, encontrou a menina Maísa sozinha, brincando em sua a porta, e a convidou para ir ao matagal, onde cometeu o crime.

As investigações da polícia apontam para a possibilidade de o acusado ter cometido outros crimes de estupro e a polícia pretende continuar investigando para tentar identificar outras possíveis vítimas, pois pode se tratar de um maníaco.

A polícia prendeu, ainda, outras pessoas  em Urbano Santos acusadas de atearem fogo no Fórum e na delegacia da cidade. São acusados também de terem roubado arma que estava guardada no Fórum.

Por jogarem pedras contra os policiais, os acusados responderão por crime qualificado e tentativa de homicídio 

Um radialista e blogueiro da cidade, identificado como Franklin, também foi preso. ele é acusado de ser o mentor de todo o crime contra o patrimônio público, pois teria convocado a população através de um programa de rádio para que fizesse justiça com as próprias mãos, no momento em que soube que cinco pessoas estavam prestando esclarecimentos sobre o crime.

Os presos foram encaminhados para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas. 

Existe uma temeridade que o estuprador e assassino possa ter o mesmo destino de outros que já foram encaminhados para Pedrinhas: ser morto por parceiros de cela. Costuma-se dizer que muitos detentos não toleram conviver com estupradores. Sabendo dessa situação no presídio, a direção da Casa de Detenção deve determinar que ele seja colocado em cela individual.

Nenhum comentário: