segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Governo desenvolve ações para revitalizar as bibliotecas escolares e Faróis da Educação


Faróis abandonados na ultima gestão
A secretária de Estado de Educação, Áurea Prazeres, destacou, em entrevista, nesta segunda-feira (19), a uma rádio da capital, as ações do governo do Maranhão no sentido de requalificar os espaços de leitura nas escolas do Sistema Estadual de Ensino. Neste sentido, traçou um plano de revitalização das bibliotecas escolares, dentro do eixo de pesquisa, ciência e tecnologias do Programa Escola Digna, determinado pelo governador Flávio Dino e atendendo a Lei 12.244 de 2010, que dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas escolas até 2020.
 
A revitalização das bibliotecas escolares passa pela melhoria dos espaços e acervos, além de ações de incentivo à comunidade estudantil para que faça uso destes espaços.
 
Ainda dentro desta estratégia, já foi instalado no Centro de Ensino Joana Batista, na Cidade Olímpica, o projeto piloto de Biblioteca Multimídia Modular, composta por um acervo de mil livros infanto-juvenis, incluindo a coleção completa da Discovery, acesso à Barsa Digital, DVDs players, vídeos, computador e leitores digitais kindow, com mil livros já carregados em Língua Portuguesa e Inglês.
 
A Mobiteca possui toda ferramenta necessária para fomentar a leitura e a pesquisa entre os estudantes. Para os professores será uma maneira moderna de melhorar e tornar mais atrativas as atividades em sala de aula.
 
O Projeto experimental da Mobiteca será instalado em mais quatro escolas da rede estadual de ensino: CE Vicente Maia (Anjo da Guarda); na cidade de Viana, no CE Nossa Senhora da Conceição; em Belágua, escola Desembargador Emésio Araújo; e na escola CE Aluízio Azevedo, em Caxias.
 
 
 
 
Faróis da Educação
Na entrevista, a secretária destacou ainda, a situação dos Faróis da Educação. O estado do Maranhão possui 113 Faróis, espaços criados com intuito de se transformarem em espaços de leitura e cultura destinados à comunidade. Nove deles estão na Região Metropolitana de São Luís e foram desativados desde 2013, para reforma e reestruturação. Recentemente, a Seduc concluiu um levantamento situacional dos faróis e está adotando medidas para reativação imediata dos mesmos, que se encontravam com defasagem de acervo e falta de pessoal para garantir o funcionamento.
 
Dos 113 Faróis, 93 serão redimensionando para uma gestão compartilhada com a Secretaria de Estado de Cultura (Secma) e os outros 20, que ficam próximos às escolas da rede estadual, ficarão sob a gestão da Seduc.
 
“A atual gestão compreende que os Faróis da Educação são espaços de leitura, pontos de cultura de uso da cidade, ou seja, ultrapassa o âmbito escolar. Por isso, eles devem ser redimensionados para uma gestão compartilhada com a cultura. De modo que aqueles faróis que estão nas proximidades de escolas do Sistema estadual, e têm nos estudantes destas escolas a sua maior clientela, serão geridos pela Seduc, que também terá as bibliotecas escolares para cuidar”, explicou a secretária Áurea Prazeres.
 

Nenhum comentário: