quinta-feira, 25 de junho de 2015

Porto do Itaqui é o 3° do Brasil em gestão ambiental

O Porto do Itaqui é o terceiro no ranking do Índice de Desempenho Ambiental Portuário (IDA), com nota geral de 82,26%. O primeiro lugar em qualidade de gestão ambiental ficou para o Porto de São Sebastião (SP), que alcançou uma nota geral de 95,73%, seguido do Porto de Itajaí (SC), com 92,81%. O Itaqui ficou à frente do Porto de Paranaguá (PR), que alcançou a quarta colocação, com nota de 81,07%.
Os dados foram divulgados pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), na sexta-feira (19), em Brasília, durante o I Seminário Sustentabilidade Ambiental no Transporte Aquaviário. “O IDA serve como um indicador, garantindo mais segurança ao setor e também atraindo empresas que buscam vincular suas marcas a portos com excelência ambiental”, afirmou Marcos Porto, gerente de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Antaq.
“Estamos investindo esforços para atingir resultados cada vez mais positivos tanto nas operações portuárias quanto no atendimento às conformidades ambientais. Nosso compromisso com a questão ambiental passa primeiro pelas pessoas que fazem do Porto do Itaqui um vetor de economia para o Maranhão. É dessa forma que pretendemos atingir o objetivo maior do governo Flávio Dino, tornando o porto uma ferramenta para melhorar a vida dos maranhenses”, afirma o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária, Ted Lago.
O IDA, criado em 2012, possui 38 indicadores escolhidos com base em literatura técnica especializada, legislação ambiental aplicável e boas práticas observadas no setor portuário mundial. Esses indicadores foram classificados em quatro categorias (econômico-operacional, sociocultural, físico-químico e biológico-ecológico) e 14 indicadores globais.
O índice também sugere níveis progressivos de atendimento para cada indicador, que, de acordo com as prioridades de cada interessado, podem ser utilizados como referências para a adoção de medidas de gestão ou regulação.
“A tendência é que o uso contínuo dessa ferramenta de avaliação pela administração portuária promova um ajuste de suas atividades de forma sustentável”, projetou o gerente da Antaq. Segundo ele, o índice, também, serve de base de pesquisa para técnicos dos órgãos de controle de Estado, como órgãos ambientais e outros de regulação e fiscalização da atividade portuária.

Nenhum comentário: