MARANHÃO EM OBRAS

MARANHÃO EM OBRAS

sábado, 3 de junho de 2017

Fiasca lançamento da pré-candidatura de Sarney Filho ao Senado


No que depender do evento ocorrido nesta sexta-feira (02), organizado pelo ex-prefeito de Pinheiro, Filuca Mendes (PV), o ministro do Meio Ambiente do governo caído de Michel Temer, Sarney Filho (PV), terá que suar muito para não terminar como lanterninha na disputa por vaga no Senado Federal.
Organizado em uma casa de show de São Luís, o ato de lançamento da pré-candidatura do herdeiro caçula de José Sarney (PMDB) reuniu, no máximo, uma dúzia de prefeitos, meia de deputados, duas dezenas de ex-prefeitos, metade do grupo de WhatsApp “Fórum da Baixada” e uma centena de políticos filiados ao Partido Verde sem programa melhor para abrir o fim de semana.
O vexame era tamanho que a organização apagou as luzes do palco para dificultar que o fracasso fosse registrado pelas câmeras. A frustração do anfitrião era de doer.
O oligarca Sarney abriu o encontro com um discurso gravado, exibido em telão. Roseana Sarney (PMDB) não passou dez minutos no evento. E, ao final do discurso, fez cara feia para os gritos de “volta guerreira” puxado pelo vendedor de camisas paraguaias Machadinho. A ex-governadora deixou a Class Eventos para brincar São João.
Só João Alberto ficou menos tempo que Roseana. O senador e presidente estadual do PMDB não permaneceu cinco minutos no lugar. Fez questão de sair sem avisar, deixando Sarney Filho na maior saia justa. A gafe caiu na conta do cerimonial, que convocou o carcará para discursar enquanto ele já estava a quilômetros do lugar.
A ex-prefeita Bia Aroso (Paço do Lumiar) era a mais animada com a candidatura de Sarney Filho. Nenzim (Barra do Corda) e o filho Rigo Teles (PV) não escondiam o constrangimento com o esvaziamento do evento. Aluísio Mendes (deputado federal do Podemos) permaneceu até o fim, mas parecia estar em outro lugar, preocupado com a prisão do aliado Antonio Aragão (PSDC) na Operação Rêmora da Polícia Federal.
Também participaram do evento o prefeito Assis Ramos (Imperatriz), os deputados estaduais Roberto Costa (PMDB), Andrea Murad (PMDB), Adriano Sarney (PV) e Edilázio Junior (PV); os deputados federais João Marcelo (PMDB), Victor Mendes (PV) e Hildo Rocha (PMDB) e os prefeitos de Bequimão, Apicum-Açu, Chapadinha, Barreirinhas, Trizidela do Vale, Turiaçu, Rosário, Alto Alegre e Urbano Santos.
Os Lobão não saíram da toca. O empresário Fernando Sarney se esgueirava pela escuridão, atordoado com a possível delação de Juquinha das Neves.

Nenhum comentário: