quarta-feira, 24 de maio de 2017

AS VIÚVAS DO PODER TENTAM A TODO CUSTO ATINGIR GESTÃO MUNICIPAL

Na Sessão da manhã de hoje da Câmara de Vereadores de Pinheiro, o plenário José de Arimateia Nunes discutiu, votou e conforme estabelece o regimento interno da casa legislativa, reprovou um requerimento do Vereador Beto de Ribão (PSD) que não obteve a maioria simples dos votos dos parlamentares presentes. O processo descrito à cima pertence ao rito normativo que é exercido regularmente em todas as sessões de todas as câmaras municipais do Brasil.
Afirmativa defendida no parágrafo inicial é em tom de resposta aos blogs alinhados ao ex-prefeito de Pinheiro que agora, por conveniência, criticam ações que antes eram defendidas ou simplesmente abafadas. Entrando no mérito da questão, o teor contido em um embaralhado requerimento do vereador Beto, tinha por finalidade convidar o Secretário de Meio Ambiente, representante do Ministério Público e representante do CREA para serem sabatinados a respeito dos aterros quem vem ocorrendo há anos nos campos de nossa cidade.
Inicialmente é importante esclarecer ao leitor o seguinte: o voto contrário dos vereadores que não aprovaram o requerimento, não os exime da responsabilidade de fiscalizar esse ou outro tema de interesse público, no entanto, aos “alarmadores” da blogosfera que ora se debruçam sobre todo e qualquer assunto que venha, de qualquer maneira, atingir a administração ou os vereadores que compõe a base governista, cabe apenas uma indagação: por qual razão, apenas agora, sobretudo hoje, se tornou crime aterrar terrenos dos campos de Pinheiro sendo que isto sempre ocorreu na gestão do ex-prefeito de Pinheiro?
Em toda extensão de ruas que interligam bairros da cidade que tem como referência geográfica os campos de Pinheiro, sofrem ou já sofreram interferências de aterros de populares que seguramente, a grande maioria desses terrenos pertencem ao ex-prefeito ou seus aliados.
A Secretaria de meio ambiente, para desespero de muitos, está formulando um criterioso estudo, mensurando os impactos ambientais, estabelecendo regras, limites e confrontando arquivos documentais de escrituras de terrenos situados a beira dos campos de Pinheiro, após esse diagnóstico pronto, deve haver uma audiência pública onde o Secretário de Meio Ambiente e demais autoridades afins estarão presentes esclarecendo todas as dúvidas a cerca do tema.
Antes disso, a movimentação da oposição não passa do que é. Resquícios de uma afrontosa derrota ainda não digerida por aqueles que ainda não se acostumaram com a ausência do poder.

Nenhum comentário: