segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Agritec Bacabal atraiu aproximadamente 20 mil visitantes e capacitou mais de 1,3 mil agricultores

Mais de 20 mil pessoas, incluindo expositores e visitantes, participaram da I Feira de Agricultura Familiar e Agrotecnologia (Agritec) no território do Vale do Mearim, realizada no município de Bacabal nos dias 10, 11 e 12 deste mês. Durante a Agritec foram capacitados mais de 1,3 mil agricultores familiares e movimentado R$ 1 milhão em negócios.

A Agritec faz parte das ações do Governo do Estado para desenvolver a agricultura familiar no Maranhão, como estratégia de mudança social e econômica no estado. O encerramento da Agritec Bacabal contou com a presença do governador Flávio Dino e do secretário nacional de Reordenamento Agrário do Ministério de Desenvolvimento Agrário (SRA/MDA), Adhemar Almeida, que anunciou investimentos de R$ 5 milhões para o Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) no Maranhão.

Esta foi a quarta edição da Agritec em 2015, que também foi realizada nos municípios de São Bento, Açailândia e Caxias. As Agritecs têm o objetivo de garantir o acesso do agricultor familiar ao conhecimento e às novas tecnologias, de modo que ele possa melhorar a produção quantitativa e qualitativamente. Além disso, as feiras são um espaço reservado à divulgação e comercialização dos produtos dos agricultores familiares e de acesso às instituições financeiras, entre outras oportunidades.

“O maior legado deste ano das Agritec’s foi que, através do Governo do Estado, levamos conhecimento aos agricultores, comercialização, transferências tecnológicas, incentivos financeiros e contratos firmados com instituições financeiras. Tudo isso mostra o empenho do Governo Flávio Dino em transformar a realidade do Maranhão por meio do conhecimento e da produção”, enfatizou o secretário de Agricultura Familiar, Adelmo Soares.
 
No encerramento da Agritec Bacabal, além do investimento de R$ 5 milhões para o PNCF, o secretário nacional de Reordenamento Agrário do MDA, Adhemar Almeida, oficializou junto ao Executivo Estadual a inclusão de duas unidades de georreferenciamento para o estado. O investimento de R$ 5 milhões visa operacionalizar o PNCF no Maranhão por meio de ações de divulgação, capacitação, acompanhamento e supervisão, de modo a viabilizar o desenvolvimento com sustentabilidade das unidades produtivas financiadas pelo Crédito Fundiário.

A Agritec de Bacabal, também chamada de Feira do Vale do Mearim, reuniu agricultores familiares de 18 municípios sendo 14 de Bacabal e quatro dos demais municípios maranhenses. Com os espaços de comercialização de produtos e contratos com instituições financeiras, os agricultores garantiram um expressivo volume de negócios, no valor de aproximadamente R$ 1 milhão.

Durante a Agritec, o Banco do Brasil assinou contrato de concessão de crédito no valor de aproximadamente R$ 505 mil para produtores de Bacabal. O crédito é do ‘Pronaf Mais Alimento’, que é um investimento destinado a promover o aumento da produção e da produtividade e a redução dos custos de produção, visando elevar a renda da família produtora rural.

O Banco do Nordeste também assinou contrato de concessão de crédito do AGROAMIGO para agricultura familiar no município de Bacabal, o recurso auxiliará na criação de porco e no extrativismo.  Até o fim do ano o Banco do Nordeste tem a expectativa de alcançar 100 milhões de investimento na área de atuação da regional Bacabal que abrange 16 municípios.

O Agroamigo é o Programa de Microfinança Rural do Banco do Nordeste, operacionalizado em parceria com o Instituto Nordeste Cidadania (INEC) e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Em dez anos de atuação, tornou-se o maior programa de microfinança rural da América Latina.


A Agritec é uma realização do Governo do Estado do Maranhão, através do Sistema de Agricultura Familiar (Secretaria de Agricultura Familiar - SAF, Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão - Agerp, Instituto de Colonização e Terras do Maranhão - ITERMA), em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) dos Cocais, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/MA), movimentos sociais (Movimento de Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST, Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu – Miqcb, Associação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas do Maranhão – Aconeruq, Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Maranhão – Fetaema e Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar – Fetraf) e prefeituras municipais.

Nenhum comentário: