segunda-feira, 31 de março de 2014

Onda de violência: Sete jovens assassinados no fim de semana em São Luís


Sete jovens foram assassinados, neste fim de semana, em São Luís. Dois deles – Alberte Galvão Lima e Itamar Cantanhede Machado – foram mortos a tiros, sexta-feira à noite, no bairro Vila Isabel Cafeteira. Uma outra vítima foi Dyego Fagner dos Santos Viana, de 26 anos, morto a tiros por homens não identificados, na Cidade Olímpica, durante a madrugada deste domingo (30).
03 Wellington Silva vitima de tiro_foto Gferreira (32)Wellington Silva Barros, de 25 anos, foi morto a tiros no Araçagi
Augusto César Santana Pereira, de 28 anos, foi morto a golpes de faca, no bairro João de Deus, na noite de sábado (29), por volta das 23h38. Ele ainda foi encaminhado ao Hospital Clementino Moura (Socorrão II), na área da Cidade Operária, mas não resistiu.
Quem também estava internado no Socorrão II, mas morreu na manhã de ontem, era Alan de Sousa Muniz. A mãe da vítima, Lucimar de Sousa, disse que o filho foi assaltado na noite de quinta-feira (27), no Conjunto Paranã, quando foi atingindo com um tiro. As outras vítimas foram identificadas como Diego dos Santos de Menezes, de 22 anos, morador do Coroado, e Wellington Silva Barros, de 25 anos, do Araçagi.

Roseana pode sair ou ficar, mas a crise continuará


roseana e o banquete 450x390 Roseana pode sair ou ficar, mas a crise continuará
Roseana: Crise de imagem agravada por altas doses de Lagosta, Caviar, Champagne e Uísque Escocês.
Começa a semana em que a governadora Roseana Sarney Murad anunciará se fica no seu agonizante governo ou se passará o abacaxi adiante, por incompetência. Imitando as dissimulações do pai, Roseana se empenha para manter a aparência de que seu gesto será “decisivo” para o destino da eleição de 2014.
Não resta dúvida de que o fato de Roseana renunciar ou não ao mandato tem implicações, pois isso envolve o destino de um personagem importante, o presidente da Assembléia Arnaldo Melo, que – dependendo do nível de humilhação contra ele imposta – pode até marchar com a oposição. Mas, para a eleição de outubro, a decisão de Roseana tem, neste momento, ínfimas repercussões.
Vamos imaginar o cenário mais provável, em que Roseana cede às pressões familiares e às chantagens de Luís Fernando, e decide disputar o Senado.  Ela, em 2 anos de uso da máquina administrativa, não conseguiu alavancar Luís Fernando, o candidato do seu marido Jorge Murad. Roseana conseguirá fazer o pesado “avião da VASP” decolar, estando ambos fora do governo, sem poder usar os papeis “ordens de serviço” ? Improvável.
Há quem lembre da eleição de 2002, em que Roseana e Lobão conseguiram puxar Zé Reinaldo para cima, até este derrotar Jackson Lago. Ocorre que, naquele ano, Roseana estava no auge do seu prestígio, foi até presidenciável, e Sarney estava fortíssimo no plano nacional. Isso nada tem a ver com 2014, em que nem o PMDB quer usar a imagem do veterano coronel nos seus programas de TV, com medo da aversão da sociedade brasileira ao nome Sarney.
Além disso, depois da sucessão de desastres nos últimos meses, Roseana possui hoje gigantesca rejeição, ao ponto de quase não conseguir mais circular nos municípios. Não é por acaso que, há vários meses, Luís Fernando evita aparecer ao lado de Roseana. De Sarney então, Luís Fernando foge como o diabo corre da cruz.
No outro cenário, Roseana Sarney surpreende todo mundo e resolve ficar no governo, tentando salvar alguma coisa do desastre administrativo. Neste caso, Luís Fernando terá uma debandada de “aliados” para resolver, que também o manterá atado aos seus 15%, onde está estagnado há 2 anos.
Como se vê, a renúncia interessa muito ao sistema Sarney-Murad, porém tem pouca incidência quanto ao fundamental: em ambos os cenários, Flávio Dino continuará favorito na disputa ao governo do Estado.

União da oposição mobiliza milhares de pessoas em Timon

unnamed 13 450x298 União da oposição mobiliza milhares de pessoas em Timon
Mais de duas mil pessoas marcaram presença no Centro da Juventude de Timon para participar do movimento Diálogos pelo Maranhão. Flávio Dino, Roberto Rocha, deputados federais e estaduais foram recepcionados pelo prefeito Luciano Leitoa (PSB) e o vice-prefeito Dr. Danísio Marabuco (PCdoB) em evento no último sábado (29), demonstrando a grande força das lideranças de oposição na região Leste do estado.
O destaque do evento foi para a grande força da união das lideranças de oposição em torno de um projeto político capaz de melhorar os indicadores sociais do Maranhão que, após quase meio século sob domínio de um mesmo grupo política, possui índices alarmantes em qualidade de vida e promoção de políticas sociais.
Pré-candidato ao governo do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) tem reunido inúmeras lideranças de diferentes cidades. Apresentando um projeto político que tem por base o desenvolvimento das vocações econômicas do Maranhão e a mobilização do estado para combater a desigualdade, Dino tem liderado o movimento Diálogo pelo Maranhão, dosando debates e mobilizações.
“Chegamos aqui, nos vemos e vem a pergunta: Por que tanta gente de tantas regiões se reune aqui para falar de um novo momento de esperança?” explanou Dino, que completou: “Porque entendemos que é chegada a hora de virar a página do passado e instalar realmente a Democracia no Maranhão”.
Hoje como prefeito e vice-prefeito de Timon (respectivamente), Luciano Leitoa e Danísio Marabuco destacaram a necessidade de parcerias com um governo estadual sensível aos grandes problemas dos municípios.
“A política no Brasil vive um novo momento. Temos uma sociedade mais exigente e que quer muito mais. Estamos aqui representando essa nova força, capaz de mudar a vida de todos os maranhenses para melhor,” ressaltou Luciano.
Mais de 50 lideranças estiveram presentes no evento, entre elas os deputados federais Domingos Dutra (SDD), Simplício Araújo (SDD) e Zé Vieira (PROS); os deputados estaduais Bira do Pindaré (PSB), Rubens Pereira Jr (PCdoB), Raimundo Cutrim (PCdoB).
unnamed8 300x198 União da oposição mobiliza milhares de pessoas em TimonPré-candidato ao Senado pelo PSB, Roberto Rocha fez questão de destacar a união da oposição em torno de um mesmo projeto, capaz de mudar o modelo político do Maranhão. O ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) também foi destaque durante a reunião.
Prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e líderes de movimentos sociais também fizeram parte da cerimônia. Entre os presidentes dos partidos em Timon, estavam o PCdoB, PSB, PTC, PDT, SDD, PP, PROS, PPS, PSDB, PPL, PEN e PTB.
Mais Saúde e Saneamento Básico
4ª maior cidade do Maranhão, Timon faz fronteira com Teresina, capital do Piauí, mas possui problemas estruturais que dependem do apoio do governo do estado para serem resolvidos. É o caso da Saúde Pública, em que muitos maranhenses da região Leste precisam ir até Teresina para receber atendimento médico.
Muitos casos semelhantes foram relatados durante os Diálogos em Timon, que discutiu ainda investimentos em Saneamento Básico nos municípios para garantir água potável na casa de 100% dos maranhenses.
DO: Marapá

Deputada estadual está prestes a declarar apoio à candidatura de Flávio Dino

Diego Emir

Nos bastidores dizem que já está tudo acertado e o anúncio de que Eliziane Gama (PPS) apoiará a candidatura de Flávio Dino (PCdoB), fica por questões de dias. A deputada estadual que afirmou por meses que seria candidata ao governo, deve abrir mão da disputa e integrar a frente oposicionista, que já conta com sete partidos.

A personagem principal dessa articulação ainda não confirma o acerto, mas admite que está sendo muito difícil manter a sua candidatura. “Tenho tentado trazer partidos, mas não está fácil e tenho compreensão que meu nome poderia acabar sendo abafado, caso eu decida disputar a eleição sem o apoio de pelo menos um partido, uma vez que o Flávio pode chegar a 10 minutos e o Luís Fernando a 15 minutos”, comentou.

Os próprios aliados da pré-candidata admitem ser inviável manter essa postura. Vieira Lima – presidente do diretório municipal do PPS – disse ter a certeza que ela será candidata à deputada federal. “Eu já declarei apoio ao Flávio, o Paulo Matos, Batista Matos e o Pastor Porto também, então será um caminho natural a Eliziane caminhar com o Flávio”, se posicionou.

Até o vice-presidente do PPS e um dos maiores entusiastas da candidatura da parlamentar, Carlos Wellington, já admite a dificuldade de viabilidade de Eliziane entrar na disputa. O empresário já conversa, inclusive, sobre a montagem das chapas proporcionais, ele idealiza uma composição entre Solidariedade, PROS e o PPS, mas também acha que um chapão oposicionista seria um bom negócio.

O presidente do PCdoB, Márcio Jerry, disse que as “conversas estão muito promissoras com Eliziane Gama”, porém não estipula prazo para anunciar qualquer definição. O comunista diz que a parlamentar tem o seu tempo e eles respeitam isso.

Já Roberto Rocha, pré-candidato ao Senado e vice-presidente do PSB, contou que não passa uma semana sem conversar com membros do PPS e que sua relação com Eliziane Gama é muito estreita, desde a eleição municipal de 2012. 

Sobre a adesão da pré-candidata ao grupo oposicionista, ele afirma: “acredito ser possível sim, luto por isso, para que no tempo das convenções, ou melhor, bem antes, possamos anunciar uma única candidatura ao governo e ao senado. Se não for possível, vamos respeitar a posição do PPS e tenho certeza que em algum momento estaremos unidos”.

O socialista chegar ir além, “olha a Eliziane é do nosso campo político. O PPS é o partido responsável pela candidatura do Flávio em 2010, tanto que naquela oportunidade foi indicado o vice pelo PPS”, completou.

Questão nacional

De acordo com o que foi apurado por nossa equipe, outra questão envolve um possível acerto de Eliziane Gama com Flávio Dino: a relação entre Roberto Freire (PPS) e Eduardo Campos (PSB). Os caciques das duas legendas fizeram um acordo em âmbito nacional e decidiram envolver o estado nas negociações.

Roberto trocou seu domicilio eleitoral novamente, voltou para Pernambuco com intuito de garantir a sua eleição de deputado federal. Em troca, o PPS vai apoiar Eduardo Campos para a disputa presidencial.

domingo, 30 de março de 2014

Pinheiro - Reggue está de luto. Morre assassinado a pauladas o DJ P PIPOCA VEISHON,


Queremos registrar com pesar o falecimento do nosso amigo Pipoca, um dos líderes do movimento reggue de Pinheiro. Pipoca foi barbaramente assassinado a pauladas, por volta das 13:40 horas de hoje, 30/03, nas proximidades da Rua Monsenhor Braúlio, também conhecida por Rua da Lama. A policia prendeu dois suspeitos.
O DJ e regueiro conhecido por Pipoca, foi a mais recente vitima do sistema perverso e excludente da dependência química. Ele foi morto a pauladas no inicio da tarde deste sábado, 30, nas proximidades da Rua Monsenhor Bráulio, conhecida como Rua da Lama, conhecida como uma das mais movimentadas boca de fumo da cidade. 
Pipoca era muito conhecido em Pinheiro. Era DJ de radiola de reggue e apresentador de programa de reggue na rádio e na TV. Teve uma rápida passagem pela politica. Foi candidato a vereador. Se corpo foi levado para o Bairro Coroadinho, em São Luis, onde foi sepultado.



TJ anula a nomeação de Washington para o TCE

Por Manoel Santos Neto (Jornal Pequeno)
Washington caiu no canto da sereia na troca da vice-governadoria pelo TCE
Washington caiu no canto da sereia na troca da vice-governadoria pelo TCE
O desembargador Marcelo Carvalho Silva proferiu decisão, nesta sexta-feira (28), tornando sem efeito a nomeação do ex-vice-governador Washington Luiz Oliveira para o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE).
Washington Macaxeira2 287×300 TJ anula a nomeação de Washington para o TCE. Em seu despacho, na condição de relator substituto do processo, o desembargador Marcelo Carvalho Silva alega que o ex-vice-governador Washington Oliveira, além de não ter cumprido prazo estabelecido em lei, é formado em História, e o Artigo 52 da Constituição do Estado exige, para o cargo de conselheiro do TCE, “notórios conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos e financeiros ou de administração pública”.
O desembargador Marcelo Carvalho Silva proferiu a decisão ao apreciar o Agravo de Instrumento nº 5.460/2014, que tramita na Primeira Câmara Cível do TJMA, motivado pela ação popular impetrada pelos deputados Domingos Dutra e Bira do Pindaré contra a nomeação de Washington Luiz Oliveira para ocupar o cargo de conselheiro do TCE.
O Agravo de Instrumento foi interposto pelo Estado do Maranhão, com pedido de efeito suspensivo, contra decisão proferida pelo Juízo da 5ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de São Luís que, nos autos da ação popular movida pelos deputados Dutra e Bira do Pindaré, deferiu a liminar requerida “para o fim de suspender o procedimento de indicação pela Assembleia Legislativa em relação à escolha do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado ora em tramitação, inclusive a sua eleição, para ensejar a que se afira a observância do devido processo legal (legislativo) na sua realização”.
Consta nos autos do processo que, após a aposentadoria do conselheiro Yedo Flamarion Lobão do Tribunal de Contas do Estado, foi lançado pela presidência da Assembleia Legislativa edital de convocação de interessados em concorrer à vaga de conselheiro do TCE/MA e que, segundo a ação popular, tal instrumento estaria “eivado de vícios”.
Os defeitos apontados pelos autores da ação popular foram a ausência de publicidade do edital de convocação, já que estabeleceu que as inscrições dos candidatos deveriam ser realizadas entre os dias 14 e 19 de novembro de 2013, mas que somente teria sido publicado no Diário do Estado no dia 18 de novembro de 2013; e que o edital estabeleceu requisitos aos candidatos não previstos nas Constituições Estadual e Federal.
Os autores da ação popular alegaram ainda que o escolhido pela Assembleia Legislativa, Washington Luiz Oliveira, não preenchia os requisitos necessários ao cargo.  Quando o Estado do Maranhão ingressou com o agravo de instrumento, pedindo efeito suspensivo da decisão proferida pelo Juízo da 5ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de São Luís, o processo foi encaminhado, na Primeira Câmara Cível, para relatoria do desembargador Kleber Costa Carvalho, que pediu informações ao Estado sobre o processo e, seguida, entrou de férias.
Por essa razão, o processo passou a ser apreciado pelo relator substituto, desembargador Marcelo Carvalho Silva que, em seu despacho, observa que o edital para convocação de interessados a concorrer à vaga de conselheiro do TCE/MA foi publicado no Diário da Assembleia Legislativa em 14 de novembro de 2013.
“Sucede que o prazo para inscrição dos interessados foi estipulado no período de 14 de novembro de 2013 a 19 de novembro de 2013. Ou seja, iniciou-se no mesmo dia em que o edital foi publicado no Diário da Assembleia Legislativa. Esta circunstância, por si só, já denota a dificuldade que os interessados teriam para entregar toda documentação necessária para o pleito, em prazo tão exíguo, cujo termo inicial coincidiu com a própria publicação do edital no Diário Oficial”, diz o relatório do desembargador Marcelo Carvalho Silva.
Ele acrescenta que a dificuldade se apresenta ainda maior por se tratar o dia 14 de novembro de 2013 de véspera do feriado da Proclamação da República (dia 15 de novembro de 2013, uma sexta-feira), seguindo-se de sábado e domingo. Assim, dos seis dias do prazo, apenas três eram dias úteis, o que resulta em manifesto empecilho aos interessados na disputada da vaga de conselheiro do TCE/MA.
“Será que o escolhido para a vaga já estava definido previamente? O procedimento de escolha do novo conselheiro do TCE foi mera formalidade?”, questiona o desembargador Marcelo Carvalho Silva, para quem outro fato grave que deve ser salientado é a ausência do preenchimento dos requisitos constitucionais por parte do único candidato que pôde obter a inscrição, Joaquim Washington Luiz Oliveira, cuja formação superior é a graduação em História, consoante o próprio sítio eletrônico do Tribunal de Contas do Estado.
O desembargador Marcelo Carvalho Silva argumenta que a Constituição Estadual é bem clara ao estabelecer, em seu Artigo 52, que os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado serão nomeados dentre brasileiros que satisfaçam requisitos específicos, dentre os quais possuir “notórios conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos e financeiros ou de administração pública”.
 “Indago: quais os notórios conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos e financeiros ou de administração pública podem ostentar alguém graduado em História?”, questiona o desembargador Marcelo Carvalho Silva, que ao final de seu relatório – composto de 27 páginas – proferiu decisão indeferindo o pedido de efeito suspensivo formulado pelo Estado do Maranhão.

sábado, 29 de março de 2014

Morre o ex-vereador Valmir Moraes

Comunicamos com pesar o falecimentou na madrugada de hoje o ex-vereador Valmir Moraes, ele que se. destacou na política pinheirense, com pouco estudo ele se tornouer um profundo conhecedor do nosso regimento interno daquela casa mais que muito doutores,e pela sua postura como homem público. ' por várias. vezes tenho lembrado aos meus pares a importância que teve Valmir para o bom trabalho da Câmara Municipal de Pinheiro fica aqui a minha solidariedade a família Moraes neste momento de dor .mirval e demais familiares fiquem na companhia de Deus e orgulhosos de pertencerem a família deste grande homem que foi Valmir Umbelino de Moraes' falou o amigo e ex-comapnheiro de Parlamento Enesio Ribeiro

Desmoralizado! Jornal é obrigado a dizer que mentiu....

"Viva a democracia", diz Flávio Dino sobre decisão da justiça que obrigou jornal de Sarney a publicar direito de resposta

O pré-candidato ao governo do Maranhão pela oposição, Flávio Dino, comemorou a decisão judicial que determinou ao jornal da família Sarney que publicasse o direito de resposta do comunista. Dino foi vítima de um factóide sobre suposto uso indevido de diárias pagas pela Embratur para se hospedar em um hotel de luxo, em Teresina. 
Mesmo com o desmentido da Embratur, o jornal se recusava a publicar as explicações de Dino. Nesta sexta-feira, o EMA cumpriu a decisão judicial e publicou o direito de resposta na coluna 'Estado Maior'.

No facebook, ao comentar a decisão da justiça, Dino disse que espera que cessem as agressões. "Política não vale-tudo, não é guerra. Essa política da perseguição e do ódio, que eles fazem, deve ficar no passado", disse.

Confira.

VIVA A DEMOCRACIA!

Tive que ir à Justiça para obter um direito de resposta no jornal do nosso adversário, em razão de uma grave calúnia. A liminar foi deferida e hoje a minha resposta saiu publicada.

O direito de resposta é garantido pela Constituição e pela ética jornalística. Espero que isso seja reconhecido por eles a partir de agora.

Espero, também, que cessem as agressões, inclusive as que atingem a imagem de um órgão público, a Embratur. Que respeitem seus funcionários.

Repito: política não é "vale-tudo", não é uma guerra. Não há sentido nesse discurso de mentiras e ódio que fazem diariamente contra mim.

Não acho normal ser caluniado, difamado, injuriado, por um jornal que circula há tantos anos, como “O Estado do Maranhão”.

Quero debater os problemas do Maranhão e como resolvê-los. Essa política da perseguição e do ódio, que eles fazem, deve ficar no passado.

sexta-feira, 28 de março de 2014

PPS, PT e PSDB se juntam a Diálogos pelo Maranhão

06e77e4227832f7430d29773d3a6d90cBatista Paulo PPS, PT e PSDB se juntam a Diálogos pelo MaranhãoMesmo sem oficialização da aliança com o projeto de Flávio Dino, militantes de três partidos que historicamente fazem oposição ao grupo Sarney tem se empenhado na articulação da pré-campanha do candidato do PCdoB ao governo.
A tendência de unidade da oposição é fortalecida durante o Diálogos pelo Maranhão. Representantes de legendas como PPS, PT e PSDB se juntam à caravana nas cidades do interior do estado.
Um exemplo foi o que aconteceu em Viana no último final de semana, que o presidente do PSDB na cidade fez coro ao discurso da mudança. “Estamos vestindo a camisa desse projeto”, disse Antonio de Inês.
Lideranças do PPS e do PT também engrossam a participação da militância nos eventos oposicionistas. Os exemplos mais recentes são a presença de Batista Matos e Paulo Matos em ações do PCdoB, partido de Dino.
Mesmo sem nenhuma confirmação da cúpula de seus partidos, a militância em São Luís e no interior de diversos partidos está dando mostras de que o movimento vem da base.
Essa o Maranhão esperou 50 anos para ver!
E não é que o jornal da família Sarney vai ter que se retratar em relação às mentiras que espalhou recentemente contra Flávio Dino? A decisão do juiz Clésio Coelho Cunha, da 4ª Vara Cível da capital, obriga o jornal O Estado do Maranhão a publicar o Direito de Resposta enviado por Flávio Dino na semana passada.

Os 50 anos do golpe militar no Brasil: “A presidente falará esta noite?”

Em artigo exclusivo para o 247, o jornalista Breno Altman sugere um discurso hipotético para a presidente Dilma Rousseff na passagem dos 50 anos do golpe militar de 1964, que derrubou João Goulart; o ponto central é a punição dos responsáveis por crimes cometidos naquele período sombrio da história, como já fizeram outros países; "Nossas instituições terão que decidir se é aceitável que crimes dessa natureza continuem impunes, com seus autores protegidos por uma lei imposta pela própria ditadura", diria Dilma, que também foi vítima do golpe; a presidente falará esta noite?
Em artigo exclusivo para o 247, o jornalista Breno Altman sugere um discurso hipotético para a presidente Dilma Rousseff na passagem dos 50 anos do golpe militar de 1964, que derrubou João Goulart; o ponto central é a punição dos responsáveis por crimes cometidos naquele período sombrio da história, como já fizeram outros países; “Nossas instituições terão que decidir se é aceitável que crimes dessa natureza continuem impunes, com seus autores protegidos por uma lei imposta pela própria ditadura”, diria Dilma, que também foi vítima do golpe; a presidente falará esta noite?
Quando amanhecer o dia 31 de março, o país estará tomado pela recordação de um fato dramático. Milhões de brasileiros lembrarão – e serão lembrados – dos 50 anos da deposição do presidente João Goulart por uma aliança cívico-militar que imporia a longa ditadura dos generais.
Muitos artigos, reportagens e entrevistas, nos mais diversos veículos de comunicação, resgatam episódios daquele período. Homens e mulheres da resistência contam a epopeia da luta antifascista e o terror da repressão. Até cúmplices e protagonistas do golpe de 1964, como é o caso de boa parte da velha mídia, vertem lágrimas de crocodilo pela usurpação cometida.
Aberrações também têm vez. Militares da reserva, e oxalá que apenas esses, celebram o feito e reincidem na elegia ao crime de lesa-pátria que orgulhosamente exibem em sua biografia. Pequenos grupos de reacionários sem farda igualmente mostram suas garras.
Milhares e milhares de cidadãos, no entanto, estarão à espera que se pronuncie a voz de uma mulher. Uma valente militante contra a ditadura, que enfrentou tortura e prisão. Quis o destino que essa combatente, Dilma Vana Rousseff, viesse a ser presidente da República no cinquentenário do regime militar. Ela poderia, como representante maior do Estado, falar à nação sobre aquela era sombria.
Um discurso breve e contundente, que permitisse ao país fechar cicatrizes do arbítrio, determinar responsabilidades históricas e anular o ultraje institucional que ainda permite, a torturadores e assassinos, esconder seus crimes ou reivindicá-los com galhardia. Talvez algo parecido com as palavras abaixo entrelaçadas:
“Brasileiros e brasileiras
Dirijo-me essa noite à nação, como presidente da República e comandante-em-chefe das Forças Armadas, para falar de um momento trágico de nossa história. Refiro-me ao golpe militar de 1964, que chega hoje a seu cinquentenário.
Oficiais de então, aliados a setores antidemocráticos do parlamento e da sociedade civil, levaram os três ramos de nossas estruturas militares a romper com a Constituição e suas melhores tradições republicanas, impondo um regime de terror e arbítrio que durou 21 anos.
O presidente João Goulart, governante legal e legítimo, foi derrubado porque a política de reformas que implementava, a favor da distribuição de renda e riqueza, em defesa da independência nacional e do nosso desenvolvimento, contrariava interesses poderosos, aos quais se alinharam os generais que assaltaram o poder.
Os protagonistas dessa sedição cometeram crime de Estado. Governaram através do terror, pisotearam a democracia, censuraram a imprensa e reprimiram as organizações populares. São responsáveis por delitos de lesa-humanidade.
Cabe a mim, pelas funções institucionais que exerço, pedir desculpas à nação, em nome das Forças Armadas, por estes fatos que mancham nossa história.
Quero comunicar que ordenei, através do Ministério da Defesa, a leitura de ordem do dia, em todos os quartéis, condenando os crimes da ditadura, proibindo qualquer forma de apologia ao regime militar e assumindo o compromisso que jamais o Exército, a Marinha e a Aeronáutica brasileiras voltarão a pisar em nossa Constituição. Nunca mais as armas da pátria serão usadas contra o povo e a democracia.
Também desejo lembrar todos os que dedicaram sua vida à resistência democrática. Centenas foram assassinados ou estão desaparecidos. Milhares se defrontaram com a prisão e a tortura. Muitos acabaram banidos ou obrigados ao exílio. O Estado brasileiro considera esses homens e mulheres heróis nacionais, a quem muito devemos a reconquista da liberdade.
A Comissão da Verdade, instituída por meu governo, logo chegará a relatório conclusivo sobre este período histórico, depois de longa investigação. Estaremos prontos, então, para novo salto civilizatório, como determinam pactos internacionais dos quais é signatário o Brasil. Nossas instituições terão que decidir se é aceitável que crimes dessa natureza continuem impunes, com seus autores protegidos por uma lei imposta pela própria ditadura.
Boa noite. E obrigada pela atenção.”
*Breno Altman é jornalista e diretor editorial do site Opera Mundi.

Luis Fernando é denunciado ao Ministério Público por gastos excessivos com bebidas

Blog Marrapá
O pré-candidato do Clã Sarney a governador, Luís Fernando Silva (PMDB), pode responder por crime de improbidade administrativa pela realização de gastos excessivos com bebidas alcoólicas enquanto chefiava a Casa Civil do Governo do Maranhão.
De acordo com denúncia oferecida pelo deputado estadual Rubens Pereira Júnior (PCdoB) ao Ministério Público Estadual, somente em 2011, o secretário de Roseana Sarney (PMDB) comprou cinco mil garrafas de cerveja, vinho, espumante, vodca, licor, prosseco e whisky importado.
Esta não é a primeira vez que Silva é denunciado por compras abusivas. Em maio de 2012, na matéria “Não vai faltar comida”, a Revista Época publicou as extravagâncias da Casa Civil nas compras para abastecer as geladeiras do Palácio dos Leões.
Entre os itens descritos pela reportagem aparecem 8,3 toneladas de carne bovina de vários tipos, 384 quilos de peru, 160 quilos de lagosta fresca, 594 dúzias de ovos vermelhos e 3,7 toneladas de camarão, além dos sucos e dos 19.433 litros de refrigerante de várias marcas.
Na última terça-feira, Rubens Júnior apresentou representação junto ao Ministério Público onde questiona a aquisição exagerada de bebidas alcoólicas.
“As despesas com homenagens, jantares, hospedagens e festividades para a recepção de autoridades são admissíveis, desde que efetivamente destinadas a recepcionar autoridades públicas e que a finalidade de tais aquisições seja de exclusivo interesse do estado ou da coletividade. Não é o caso da compra questionada. Ainda que se admita a aquisição de bebidas alcoólicas para eventos como a recepção de autoridades, não se pode permitir a escolha de exemplares caríssimos”, justifica o deputado.

quinta-feira, 27 de março de 2014

Bronca Geral no Diario do Poder

O TSE, esta fazendo propaganda para Dilma, soltei a bronca! veja qui:


Adiado mais uma vez os Embargos de Luciano Genésio

Mais uma vez foi adiado o Julgamento envolvendo a inelegibilidade do suplente de deputado estadual Luciano Genésio. Ele que concorreu ao cargo de vice prefeito ao Lado do ex-prefeito José Arlindo.
O Tribunal Regional  adiou agora para o dia 22 de abril, O juiz Eduardo Moreira adiou mais uma vez porque recebeu algumas memórias com novas informações, então pediu para corte para adiar para complementar o seu voto!!!
O  relator do processo, desembargador Guerreiro Júnior, deu provimento aos Embargos Declaratórios para afastar a inelegibilidade de Genésio. E o  juiz Eulálio Figueiredo aproveitou e antecipou seu voto seguindo o relator.
Em discussão, o próprio membro do Ministério Público Federal se manifestou favoravelmente em relação ao voto e tese defendida por Guerreiro Júnior.

Segundo fontes as chances de serem aceitos os Embargos declaratórios   feitos por Luciano são muito grande já que ele já conta com dois dos seis votos.

Jovem desaparecida desde domingo é encontrada esquartejada dentro de saco

O corpo da jovem Dhalia Nathalia Ferreira da Silva, de 22 anos, foi encontrado no fim da manhã desta quinta-feira (27), esquartejado dentro de um saco plástico, no bairro da Cohab.
 
A jovem foi encontrada no condomínio onde ela residia, na Rua do Livramento. Momentos depois de o corpo de Dhalia ser localizado dentro de um saco, o namorado dela, identificado como Raphael Carvalho, foi encontrado enforcado no mesmo condomínio e uma faca debaixo dos pés. A polícia trabalha com a hipótese de o namorado ter assassinado a jovem e depois cometido suicídio.
 
Dhalia Nathalia, desapareceu no domingo, após sair de casa para ir a uma praia da capital. A jovem e a família são naturais de Itapecuru e residem em São Luís a mais de três anos.
-->

Pai da estudante, Dáhlia Ferreira, agradeceu a imprensa e a todos, por terem encontrado a filha, mesmo morta

O pai da estudante Dáhlia Ferreira, Walderino Mendes, agradeceu por telefone, a uma amiga jornalista, que  ajudava nas investigações, a mesma publicou a conversa em sua rede social Facebook.
"Agradeço a todos os jornalistas de São Luís que se interessaram pelo caso, agradeço aos amigos de faculdade, aos meus amigos, a todos que ligaram, que se importaram com isto. Diga a todos que mandei meu muito obrigado. Eu não posso medir o tamanho desta dor, eu estou sem chão. A minha mãe também está morta, eu estou no velório. A minha filha, vou esperar aqui, na cidade natal dela. Quanto ao Raphael, eu só sei uma coisa: a minha filha o amava muito."
Walderino Mendes, no momento em que fez os agradecimentos, estava no velório da mãe dele, que morreu em consequência do diabetes e não sabia que a Dáhlia havia sumido.
Os restos mortais de Dhalia Nathalia, serão transferidos para a cidade de Itapecuru. 

quarta-feira, 26 de março de 2014

Senadores maranhenses são repudiado em Pinheiro

Foi aprovada na Câmara municipal de Pinheiro, desta terça-feira (25), uma moção de repúdio aos senadores maranhenses, Edinho Lobão (PMDB), Epitácio Cafeteira (PTB), João Alberto (PMDB), e  também ao senador do Amapá José Sarney (PMDB). 



Dos 15 vereadores de Pinheiro 12 assinaram o documento de repudio contra os senadores foram eles: : Enezio Ribeiro (PDT), Leonardo Sá (PDT), Beto de Ribão (PSD), Jaelson (PV), Selma Rodrigues (PSL), Guto (PV), Sinval Souza (PMDB), Valter Soares (PV), João Moraes (PSB), Elizeu de Tanta (PSB), Stélio Cordeiro  (PSDB) e Lucas do Beiradão (PDT).

A insatisfação dos parlamentares pinheirenses se dar em função de que esses quatros senadores estão  se omitindo  para votar o veto da presidente Dilma ao Projeto e Lei de autoria do senador Mozarildo Cavalcante (PTB) de Roraima, que devolve a Assembléia Legislativa, a prerrogativa de criarem novos municípios e que foi  aprovado no Congresso.

O município de Pinheiro pleiteia a emancipação de dois municípios o do Distrito de Paraíso e do Povoado Gama, anunciou o autor da Monção de Repudio o Vereador Enésio, ainda segundo o parlamentar o que chamou muita atenção foi a  abstenção do  vereador Antonio Ribeiro que juntamente com o vereador Beto se esquivaram a votação, lembrando que Ribeiro poderia ser um dos mais interessado na criação do município do Gama, já que ele mora no Povoado.
O vereador Leonardo Sá que assinou, não estava presente e vereador Osiel foi o único voto contra, já que a presidente Concita  não tem direito a voto.
Votaram afavor da Moção de Repudio  Nº 013/2014:
Enezio Ribeiro (PDT), Jaelson (PV), Selma Rodrigues (PSL), Guto (PV), Sinval Souza (PMDB), Valter Soares (PV), João Moraes (PSB), Elizeu de Tanta (PSB), Stélio Cordeiro  (PSDB) e Lucas do Beiradão (PDT).








MARANHÃO DA BARBÁRIE? Em Arame, motoqueiros expulsam promotor e juiz que determinaram uso de capacete

Os motoqueiros usaram fogos de artifício para expulsar o promotor e o juiz

Juiz Holídice Barros e o promotor de justiça Carlos Róstão, foram expulsos da cidade sob fogos de artifício durante uma manifestação de motociclistas.

Fato pra lá de curioso aconteceu ontem terça-feira 25/03, durante um protesto realizado que interditou a Ma-006, que liga Arame ao Entroncamento. Manifestantes revoltados expulsaram da cidade, sob fogos de artifícios, o juiz Holídice Barros e o promotor de justiça Carlos Róstão, ambos titulares da Comarca de Grajaú e respondendo por Arame.

Tudo começou com uma campanha que o promotor Carlos Róstão está realizando na comarca de Arame para que os motociclistas cumpram o que determina a lei e só trafeguem usando capacete. Além disso, o promotor fixou prazo para que a população se adeque a essa regra. “Trata-se de uma norma que visa preservar a segurança do condutor da moto e da própria população”, esclareceu o juiz Holídice Barros.

Protesto interditou a Ma-006, que liga Arame ao Entroncamento

Só que os motociclistas não gostaram muito da “novidade” que não é tão novidade assim, alegam que para que o capacete seja implantado na cidade é necessário a sinalização das ruas e também a pavimentação asfáltica do município, em situação precária em algumas ruas. Os moradores alegam ainda que a implantação do capacete no município aumentará o numero de crimes na cidade que já sofre com a falta de segurança.

Em Nota, a Associação dos Magistrados repudiou a ação dos manisfestantes. De acordo com a Associação dos Magistrados do Maranhão, o juiz Holídice Barros e o promotor Carlos Róstão, ao se deslocarem de Grajaú para a realização de audiências em Arame, foram hostilizados pelos manifestantes. Eles teriam solicitados ao Batalhão de Grajaú que enviasse reforço, mas, a polícia militar nada pode fazer porque, segundo o magistrado, a cidade de Arame só tem um policial.

O juiz e o promotor, segundo a AMMA foram então aconselhados pelos policiais a deixarem a cidade, por não haver garantias e condições dos policiais para manter a sua segurança dos dois no local. Diante disso, as audiências e os demais atos processuais já designados para o dia precisarão ser suspensos. Os manifestantes teriam comemorado a saída do juiz e promotor com uma salva de foguetes.

Em sua página nas redes sociais o juiz Holídice Barros comentou o fato:“indignado por ter sido impedido de trabalhar pela ausência de segurança pública na cidade. A situação é caótica…”.

A Associação dos Magistrados encaminhou ofício à Presidência do Tribunal de Justiça denunciando o clima de insegurança. De acordo com o presidente Gervásio Santos, a situação de ameaça que o juiz Holídice Barros sofreu não diz respeito somente a ele, mas a toda Magistratura do Maranhão.

Para Gervásio Santos, o Estado do Maranhão está à beira da barbárie por absoluto descaso do Governo do Estado com a segurança pública. “O que aconteceu hoje no município de Arame foi uma afronta ao Estado do Direito, com a vitória da barbárie em detrimento da lei”, disse.

Informações do Blog do Domingos Costa

Desespero! anunciada o fim da oligarquia do Maranhão

Por José Reinaldo Tavares
Os jornais e blogs mais importantes do país publicaram, recentemente, que José Sarney e sua filha Roseana irão disputar vagas ao Senado. O primeiro no Amapá e a segunda aqui no Maranhão. Sarney foi para Macapá no dia 18 de março, véspera do dia consagrado a São José, onde o santo, assim como aqui, é muito festejado. E o ponto alto da comemoração é uma missa solene realizada no dia 19, em cuja celebração o senador anunciou que estaria presente, como sempre faz, para assisti-la.
luis-fernando-com-roseanaContudo, é fato que a visita também tinha uma motivação oculta. Para isso, vejamos os fatos: consta que Roseana Sarney recebeu a visita do marqueteiro Antônio Lavareda que, em tempos passados, já foi um dos mais procurados para prestar serviços a candidatos. Hoje, pelo que se sabe, sua procura é bem menor. Entretanto, ele trabalha para Roseana há muitos anos e teria sido chamado por ela para ouvir sua opinião em torno da futura eleição tanto para o candidato Luís Fernando ao governo como a dela própria para o Senado.
O marqueteiro teria dito a Roseana que a eleição para governador – considerando a candidatura de Luís Fernando – estaria perdida, nada mais havendo a fazer, depois de tudo o que fora feito até agora. De fato, creio que ela não tem mais dúvidas disso há muito tempo e, para tentar não se contaminar mais, deixou de andar com ele e parou de acompanhá-lo nas viagens, que Fernando continua a fazer sozinho, abandonado, sem políticos ao seu redor.
Ao que parece, Lavareda teria deixado Roseana com muito medo de uma derrota, ao fazer análises mostrando que ela estava muito contaminada pelo clima de derrota que envolvia o seu candidato e que não tinha fatos positivos para mostrar, pois não cumprira nenhuma promessa de campanha até hoje. Por isso, a conclusão dele era de que Roseana não deveria disputar a eleição e que deveria ficar no governo até o fim de seu mandato, para tentar cumprir pelo menos algumas de suas promessas. Foi daí, suponho, que nasceu o discurso maluco de que quando saísse, deixaria um Maranhão de ‘primeiro mundo’.
Roseana, portanto, ficou com receio e divulgou que iria ficar no governo. Seu pai, José Sarney, não aceitou o diagnóstico e lutou muito com ela, tentando convencê-la a disputar a eleição, argumentando que ela tinha, sim, condições de vencer.
Além disso, Sarney teria dito a Roseana que ele iria ao Amapá fazer uma sondagem definitiva sobre a viabilidade de sua eleição nesse estado. Se ele encontrasse essas condições, então seria ele o candidato e Roseana tentaria terminar algumas de suas promessas. Caso ele não tivesse condições de vencer, ela então seria a candidata, evitando, assim, o desaparecimento do grupo chefiado pela família Sarney.
Em Macapá, porém, Sarney passou por grandes humilhações, terríveis para um ex-presidente que teve tanto poder, principalmente depois que saiu da presidência da república. Viveu momentos terríveis demais para o seu imenso orgulho.
Na tarde do dia 18 de março, Sarney tentou falar com o presidente do PT no Amapá e este mandou dizer a ele que não o receberia, pois nada teriam para tratar. O senador teria tentado forçar o encontro insistentemente durante toda a tarde e, a partir do momento em que se convenceu de que não seria recebido, colocou sua turma atrás dos homens importantes do PT nacional, até que o presidente nacional do partido, Rui Falcão, ligou para seu subordinado no Amapá e ordenou-lhe que recebesse Sarney. Já era noite daquele dia quando o senador finalmente obteve a informação de que seria recebido. Um chá de cadeira histórico.
José Sarney teria então iniciado por cima a sua conversa, como sempre faz, dizendo que iria lutar pela coligação nacional do PMDB com o PT, mas que isso deveria começar pelo Amapá e, dessa forma, queria o apoio do PT para a sua candidatura ao Senado. O prócer local respondeu que nada uniria os dois partidos no estado e que era impossível essa coligação, porque ela não seria aceita pelos petistas amapaenses. Argumentou que o PMDB cassou dois prefeitos do PT no estado, que tomou do PT todos os cargos federais locais. Por fim, reiterou que o partido lançaria a atual vice-governadora como candidata e que isso era irreversível, lançando por terra qualquer resquício de intenção do oligarca em se reeleger.
Em verdade, Sarney já sabia da candidatura de Dora (a vice-governadora) e com essa sondagem ele confirmou os seus receios de que não teria como se candidatar à vaga no senado pelo Amapá. Com isso, estabelecem-se os argumentos finais para convencer Roseana a disputar a vaga pelo Maranhão e tentar evitar, assim,o fim do grupo agora já em abril. É muito provável que, diante desse panorama, Sarney virá para cá e trabalhará como nunca junto à classe política maranhense, e usando sua característica lábia, com argumentos voltados inclusive para provocar emoções e evocações de amizade, tentar conseguir a vitória no senado para a sua filha.
É por isso que, como já disse várias vezes, não estou nada convencido de que Roseana ficará no governo. O que vejo é que Sarney não será candidato, mas Roseana será. E é provável que deixe o mandato no dia 4 de abril. Vamos acompanhar…
Agora vejam que vergonhoso: Como esse governo não tem o que apresentar como realizações próprias, aproveitam-se da inauguração da fábrica de celulose da Suzano, localizada em Imperatriz, que, pela sua importância, teve até a presença da presidente Dilma, no rotineiro ritual propagandístico. O mais interessante é que Roseana nada tem a ver com a vinda da fábrica para cá. A empresa veio no governo de Jackson Lago, como pode ser facilmente verificado nos jornais da época. A única interferência de Roseana no empreendimento foi mudar a sua localização de Porto Franco, local escolhido por Jackson, para Imperatriz, logo após tomar na força o governo dele. Mais nada. Essa é a verdade.
Mudando de assunto, não é que Sarney – que sempre briga contra a divulgação dos indicadores sociais do estado – se valeu deles à época para justificar sua postura de paladino da mudança quando foi governador e combater críticas à exibição das mazelas do estado? Pena que tenha sido só retórica e nunca mais falou neles.
Recebi essa colaboração de um leitor e transcrevo-a aqui:
“Vejamos o que disse José Sarney disse em 1966, logo após o lançamento, aqui em São Luís, do documentário ‘Maranhão 1966’, encomendado por ele mesmo e pago com recursos oriundos do Banco Estadual, filme este dirigido pelo consagrado Glauber Rocha. Após o lançamento do documentário, algumas pessoas lamentaram que o Maranhão ali mostrado, no filme do Glauber, apresentasse somente miséria e desgraça. O então jovem governador do Maranhão respondeu da seguinte forma aos críticos: “Mas, o que devemos afirmar, hoje, é que somos um Estado pobre, miserável, de estatísticas terríveis.Não é vergonha mostrar e é crime encobrir.” Essa declaração de José Sarney está citada no livro do historiador Wagner Cabral, Sob o Signo da Morte, à página 211. A oposição, com efeito, não pode cometer o crime de esconder estatísticas terríveis.”.
Foi o que disse o próprio Sarney. Vejam como são as coisas…

Thaiza Hortegal se mobiliza para viabilizar a instalação de uma unidade do Iema em Pinheiro A deputada Thaiza Hortegal busca viabilizar uma unidade do Iema para o município de Pinheiro, com ensino médio em tempo integral e cursos profissionalizantes. “A cidade está sendo referência para estudantes na região por causa da diversidade de instituições de ensino superior que têm surgido, tanto públicas quanto privadas, além do crescimento econômico que vem apresentando, com a chegada de grandes empreendimentos, como foi o Mix Mateus e outros que estão por vir, e que demandarão pessoal qualificado”, explicou a parlamentar. A deputada progressista ressaltou o papel importante do Iema em outras regiões, agregando cursos profissionalizantes que viabilizam a inserção de jovens no mercado de trabalho após a conclusão do ensino médio, e a necessidade da abertura de novas vagas para alunos. “Vamos precisar de mão-de-obra qualificada diante do crescimento que temos percebido em Pinheiro. Além disso, precisamos abrir mais vagas para o ensino médio, porque temos identificado um crescimento de ingressantes neste nível escolar ao longo dos anos. Portanto, precisamos nos preparar, e com uma unidade plena do Iema, nossos estudantes terão, além de uma excelente estrutura, uma instituição de referência”, destacou Dra. Thaiza.

Thaiza Hortegal se mobiliza para viabilizar a instalação de uma unidade do Iema em Pinheiro A deputada Thaiza Hortegal busca viabilizar...