Falta conhecimento e sobra má-fé do Sistema Mirante


O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, fica revoltado
com má-fé do Sistema Mirant
A reportagem veiculada pela TV Mirante que tratava sobre o aluguel de um imóvel em Paço do Lumiar para abrigar a Central de Abastecimento Farmacêutico (CAF) mostrou a desinformação (ou seria má-fé) da equipe jornalística na apuração da notícia.

Segundo o “furo de reportagem”, foram pagos R$ 180 mil de aluguel a um imóvel antes mesmo de ser utilizado. A pérola jornalística também considera que o aluguel seria desnecessário, uma vez que já existe um prédio próprio para esta finalidade.

Logo após a veiculação, o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, usou seu Twitter para esclarecer as informações equivocadas usadas na reportagem – já que as notas de esclarecimento recebem pouco espaço ou são lidas parcialmente pelo veículo.

“No afã de querer criar algum tipo de constrangimento sobre o aluguel de um prédio onde funciona hoje a Central de Abastecimento Farmacêutico, a Mirante mente deslavadamente com o intuito de ludibriar o espectador”, escreveu.

De acordo com as explicações do secretário, a locação de um imóvel para a CAF, em valor abaixo do mercado, se deu por duas razões: 1) o imóvel, localizado na Vila Palmeira, não atendia às condições sanitárias exigidas para armazenamento dos mais de 6 mil itens do CAF, inclusive com demanda judicial nesse sentido; 2) O espaço localizado na Vila Palmeira está, desde 2013, destinado a receber aparelho de radioterapia, conforme pactuado com o Ministério da Saúde, o que impediria sua reforma.

Para o secretário Carlos Lula, além da má-fé e uso politiqueiro da reportagem, sobrou desinformação da equipe, que confunde os conceitos de empenho e pagamento. No próprio Glossário do Portal da Transparência tem o conceito que o Grupo Mirante ignora em sua reportagem.

O empenho representa o primeiro estágio da despesa orçamentária. É registrado no momento da contratação do serviço, aquisição do material ou bem, obra e amortização da dívida. Consiste na reserva de dotação orçamentária para um fim específico. “Sugiro um pouco de leitura de Direito Financeiro aos editores da reportagem”, aconselhou Carlos Lula no Twitter.

Leia a íntegra do desabafo de Carlos Lula

É de causar náuseas a utilização politiqueira do sistema Mirante, a difundir inverdades, mentiras e distorções sobre o trabalho do Governo do estado do Maranhão.

Hoje, mais uma “matéria” que nos deixa dúvida sobre a existência de burrice ou má-fé de quem as produz. Talvez um pouco de cada.

No afã de querer criar algum tipo de constrangimento sobre o aluguel de um prédio onde funciona hoje a Central de Abastecimento Farmacêutico, a Mirante mente deslavadamente com o intuito de ludibriar o espectador.

Acreditando ainda viver no governo dos seus patrões, o Sistema Mirante procura ilicitude onde não existe. A SES nunca adotou ato antieconômico, como faz crer a reportagem.

A locação de um imóvel para a CAF, em valor abaixo do mercado, se deu por duas razões: 1) o imóvel, localizado na Vila Palmeira, não atendia às condições sanitárias exigidas para armazenamento dos mais de 6 mil itens do CAF, inclusive com demanda judicial nesse sentido;

2) O espaço localizado na Vila Palmeira está, desde 2013, destinado a receber aparelho de radioterapia, conforme pactuado com o Ministério da Saúde, o que impediria sua reforma.

Mas o que é mais ABSURDO é a reportagem confundir empenho e pagamento e dizer que foram pagos 180 mil reais de maneira adiantada, o que é a mais deslavada MENTIRA. Sugiro um pouco de leitura de Direito Financeiro aos editores da reportagem.

E aí não se sabe a mentira residir na pura canalhice e má-fé ou tão somente na estupidez de quem se propõe investigar o poder público e não sabe a diferença entre empenho e pagamento.

De todo modo, é rasteiro, nojento e vil esse tipo de “jornalismo” praticado aqui no Maranhão. Esse tipo de comportamento deveria pelo menos ruborizar quem o faz. Mas não teremos sequer um pedido de desculpas.

Me desculpem o textão e a raiva. Mas é o sentimento que sinto quando ofendem não a mim, mas a toda uma equipe que luta incansavelmente pela melhoria do nosso estado. Eles simplesmente não merecem passar por esse tipo de constrangimento.

Comentários