Após 30 anos, família Sarney deve ficar sem representante no Senado




A família Sarney, de acordo com recentes pesquisas de intenção de voto divulgadas esta semana, deve sofrer uma fragorosa derrota nas eleições deste domingo (07).

Além de não conseguir retomar o comando do Palácio dos Leões, através da candidata do MDB, Roseana Sarney, o grupo político liderado pelo ex-presidente José Sarney está próximo de se deparar com uma triste realidade: após 30 anos, ficará sem representante no Senado Federal.

Roseana não desejava concorrer ao seu quinto mandato para o governo ou para qualquer outro cargo.

Entrou na disputa à mando do pai, como forma de contribuir com a eleição do deputado federal Sarney Filho (PV), seu irmão, para o Senado.

Zequinha sempre nutriu o sonho de chegar à Câmara Alta.

Adiou o projeto diversas vezes para apoiar a irmã e em função das conjecturas que a política impõe.

Enxergou, no pleito deste ano, sua chance. E apostou todas as fichas nela, com o apoio incondicional do pai.

Reeleito oito vezes para os cargos de deputado estadual e deputado federal, Zequinha vislumbrava completar 40 anos de vida pública, e de mandatos eletivos, exatamente sentado na cadeira de senador.

Porém, o plano parece não ter dado certo. O filho de José Sarney viu a sua candidatura murchar, segundo os levantamentos que mensuram a preferência do eleitorado.

Usou e abusou de todas as táticas possíveis para mudar a realidade. De Edison Lobão (MDB), seu companheiro de chapa, a Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS), todos foram atacados sem dó por Zequinha; alguns de seus aliados; e pelos veículos de comunicação que pertencem aos Sarneys.

Candidato do campo governista, Weverton, um ex-militante estudantil de origem humilde e que já se estabeleceu como a liderança política jovem mais bem articulada do Maranhão, cresceu.

E cresceu consideravelmente, chegando ao patamar de liderar, com folga, a corrida.

Eliziane, outra política que não nasceu em berço de ouro, também subiu e, hoje, está em segundo lugar.

Zequinha tentou, é verdade. Tentou tanto, que acabou dividindo sua derrocada com Edison Lobão, que caiu consideravelmente na preferência do eleitorado.

Portanto, o resultado das urnas aponta para um fato inédito amanhã.

Flávio Dino deverá renovar o mandato no primeiro turno, derrotando Roseana. E deverá comemorar a vitória de Weverton e Eliziane para o Senado.


E pela primeira vez na história política do estado, após 30 anos, o grupo Sarney poderá ficar sem um representante na Câmara Alta.

Comentários