GRUPO SARNEY PERDE SEUS PRINCIPAIS TÉCNICOS


Ex-ministroGastão Vieira assumiu a reeleição do governador Flávio Dino
Decepção com o período em que a oligarquia mandou e desmandou no Maranhão está provocando uma verdadeira revoada de políticos de peso que antes povoavam os palanques dos candidatos majoritários do grupo Sarney em direção a aliança que apoiará a reeleição do governador Flávio Dino em 2018.
Luís Fernando (PSDB), Gastão Vieira (PROS) e Pedro Fernandes (PTB), os três principais técnicos do grupo liderados por Roseana Sarney abandonaram a barca e declararam apoio ao governo transparente  que está mudando o Maranhão e acabando com práticas nocivas que levaram o Estado a ostentar os piores indicadores econômicos e sociais do país.
Atual prefeito de São José Ribamar, Luís Fernando é um político de perfil técnico, que chegou a ser pré-candidato ao governo em 2014, mas desistiu ao se decepcionar com o comportamento do grupo e acabou declarando apoio a Flávio Dino, ajudando a derrotar o candidato da oligarquia mais longeva do país, Edinho Lobão (PMDB).
Gastão Vieira possui capacidade técnica inquestionável. Deputado estadual por dois mandatos, deputado federal de vários mandatos, o ex-ministro do Turismo e atualmente presidente estadual do PROS, foi a mais nova perda do grupo Sarney. Na segunda-feira (27), Gastão declarou publicamente apoio ao Governo Flávio Dino.
O deputado Pedro Fernandes foi outra perda bastante sentida pela oligarquia. Técnico capacitado, o ex-secretário de Educação do Estado é pai do vereador Pedro Lucas (PTB), membro do primeiro escalão do governo e um dos principais entusiastas da reeleição de Flávio Dino.   Fernandes chegou para somar com sua liderança e experiência.
E diante de tantas perdas, ai incluindo Chico Coelho, Hildo Marques e Josimar de Maranhãozinho, Roseana já não tem tanta certeza de que pretende, de fato, ser candidata. Esta semana, por exemplo, a revista eletrônica Fatos e Versões revelou que o ministro Sarney Filho estaria trabalhando nos bastidores para o grupo apoiar a candidatura do senador Roberto Rocha, o “Asa de Avião”. Zequinha tem a convicção que a “chapa dois irmão” não vinga.

Comentários