OBRAS MAIS ASFALTO

OBRAS MAIS ASFALTO

quarta-feira, 5 de julho de 2017

A força do celular e das redes sociais

Robson Paes*
A cena é comum. Por onde passamos vemos pessoas zapeando celular. Nas casas, escritórios, shoppings, feiras, consultórios… Nos principais centros urbanos, mas também nos lugares mais remotos lá está o pequeno dispositivo presente.
Uma força de comunicação incalculável. Pois, nele, estão reunidas várias mídias: TV, internet, rádio, jornal e redes sociais com aplicativos, que viraram febres como o WhatsApp conquistando a atenção das mais variadas faixas etárias.
Pesquisa realizada pelo Instituto Reuters para o Estudo do Jornalismo, da Universidade de Oxford, na Inglaterra, divulgada na semana passada, mostrou que pela primeira vez, o celular ultrapassou o computador como o principal dispositivo utilizado para acessar notícias no Brasil.
Nas regiões urbanas do país, esse índice chegou a 65%, contra 62% dos computadores. Índices acima da média registrada nos países pesquisados, onde as taxas são de 56% e 58%, respectivamente. Resultado que demonstra clara mudança no modo de consumir notícias pela internet.
O estudo constata outra tendência no Brasil. O crescimento do WhatsApp. Exatos 46% dos entrevistados afirmaram usar o aplicativo para acessar e compartilhar notícias, o que representa um aumento de sete pontos percentuais em relação ao ano passado, segundo o levantamento.
No mesmo intervalo de tempo, o Facebook teve queda de 12 pontos na comparação com o ano anterior. O Face é utilizado por 57% das pessoas ouvidas. Já o Youtube aparece como a escolha de 36%, enquanto Instagram e Twitter por 12% dos entrevistados, cada um.
A pesquisa mostra pertinente preocupação dos brasileiros no que diz respeito às notícias falsas disseminadas por estas mídias. As redes sociais têm sentido o impacto da veiculação de notícias falsas, conforme o estudo.
A avalanche de notícias falsas nas redes sociais fortalece os meios de comunicação tradicionais na relação com o público. Neste quesito, 40% dos brasileiros consideram que as empresas de comunicação realizam um bom trabalho em separar fatos de boatos. Quando a mesma pergunta se refere ao esforço nas redes sociais, o número cai para 24%.
Contudo, a despeito do rápido crescimento da internet, a popularidade da web não é hegemônica. A expansão das redes sociais também sofre com a crise econômica. Em meio ao crescente desemprego e mudanças no mercado, mais de 36 milhões de linhas móveis foram desconectadas pelos operadores de telecomunicações nos últimos dois anos, de acordo com a pesquisa.
Ainda assim, as plataformas on-line já são a principal fonte de informação para pessoas em áreas urbanas, especialmente aquelas com maior renda e níveis de educação.
A mídia digital é uma realidade. Também na última semana a Nova 1290 Timbira AM alcançou a marca de 10 mil curtidas em sua fanpage. É a rádio maranhense em amplitude modulada mais curtida no Facebook. Conquistou ainda a segunda maior audiência entre as emissoras de rádio do Estado no aplicativo RadiosNet. Indicativos concretos da mudança porque passa a emissora pública. Parabéns a toda equipe da Rádio de Todos Nós!
Radialista, jornalista. Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM

Nenhum comentário: